segunda-feira, 24 de dezembro de 2012

Pão de mel

Mais uma receita testada - essa mais com a textura de pão de mel a que estamos acostumados do que a anteriormente postada (bolo de pão de mel). Adaptei a receita de uma que circula na internet ("pão de mel da Lucia"), e a minha ficou assim:


Pão de mel
1 xícara e meia de leite morno
1 e meia colher (chá) de cravo em pó
meia colher (chá) de canela em pó
1 pitada de noz moscada ralada na hora
1 xícara de mel
1 xícara de açúcar
meia xícara de açúcar mascavo
3 colheres (sopa) de chocolate em pó
4 xícaras (chá) de farinha de trigo
1 colher (sopa) de fermento em pó

Bati os 9 primeiros ingredientes no liquidificador. Retirei e misturei o fermento. Coloquei em tabuleiro untado e enfarinhado e assei em forno médio pré-aquecido por 40 minutos. Retirei, deixei esfriar, desenformei, cortei ao meio e recheei com doce de leite. Cobri com a outra metade e por cima espalhei cobertura de chocolate ao leite Sicao (250g) derretida. Cortei em quadradinhos.

segunda-feira, 17 de dezembro de 2012

Pão Caseiro

Eu queria um pão rapidinho para o lanche da noite e resolvi fazer a seguinte receita (daqui):
Bati no liquidificador 2 ovos, 1/2 xícara de óleo, 1 e 1/4 xícara de leite, 1 colher (chá) de sal, 1 colher (sopa) de açúcar, 10g de fermento biológico seco. Tirei do liquidificador e adicionei 3 e 1/2 xícaras de farinha de trigo. Deixei crescer por 1 hora, coloquei em 2 formas de bolo inglês pequenas e assei em forno médio pré-aquecido por 35 minutos.

Servi com pasta de ovos: 3 ovos cozidos ralados, 1/4 de cebola ralada, 1 e 1/2 colher (sopa) de maionese, 1 colher (sopa) de creme de leite, sal, pimenta do reino, 1 colher (chá) de catchup e molho shoyu. Misturei tudo. 
De sobremesa, potinhos de chocolate de adulto:

Fiz um brigadeiro mole com 1 lata de leite condensado, meia lata de leite de vaca, 1 gema e 3 colheres de chocolate em pó. Quando deu o ponto, tirei do fogo e coloquei em xícaras de café, previamente preparadas com 1 colher (chá) de licor Frangélico no fundo de cada uma. Deixei gelar.

domingo, 16 de dezembro de 2012

Produção da semana

Final de ano invariavelmente corrido, não ando com muito tempo para a cozinha, infelizmente.
Nesta semana que passou foram basicamente coisas para as festas de confraternização:



1. Farofa de arroz 7 grãos (do site Rainhas do Lar):
Cozinhei meio pacote de Ráris 7 grãos em água e sal por 30 minutos. Escorri e reservei. Numa panela derreti 100g de manteiga e fritei 250g de linguiça (era para ser defumada, mas acabei usando a Guanabara da Sadia mesmo). Juntei uma cebola pequena, pimenta (era para ser calabresa mas eu só tinha do reino) e 2 dentes de alho picados e deixei refogar bem. Depois adicionei 3 ovos, deixei começar a endurecer e então mexi. Quando os ovo estavam cozidos juntei 1 xícara de castanha de caju picada e torrada, o arroz reservado e 1 xícara de farinha de mandioca. Misturei bem e tirei do fogo (era para ter juntado cheiro-verde, mas eu não tinha).

2. Pavê da Andréa W (receita de uma amiga querida, que levou para uma festinha e fez um super sucesso): 
Fiz um brigadeiro mole com 1 lata de leite condensado, meia lata de leite de vaca, 1 gema e 3 colheres de chocolate em pó. Quando deu o ponto, tirei do fogo e coloquei em um pirex. À parte bati a clara em neve com 3 colheres (sopa) de açúcar e juntei depois 250g de creme de leite batido (usei o fresco, mas a Andrea fez com o de lata sem soro e ficou muito - MUITO - melhor). Cobri o brigadeiro com este creme e levei ao congelador.

3. Pequenas bruschettas doces
Este foi um improviso para um café da manhã que carecia de bolo, muffin ou qualquer coisa que adoçasse o paladar (e o coração também): cortei fatias de pão australiano e cobri algumas com geléia de uvaia e outras com doce de leite pastoso. Coloquei por cima de algumas castanha de caju torrada e picada e levei as bruschettinhas ao forno apenas para secarem um pouco. Retirei e servi (e parece ter dado certo, pois nem deu para tirar foto :-)

sábado, 8 de dezembro de 2012

E vejo flores em você!

Eu estava fazendo algo para o jantar e a minha filha veio e disse, "mamãe, venha aqui ver uma coisa". Relutei um pouco, pois estava ocupada, mas ela insistiu e eu acabei indo. Uma surpresa grande: essa orquídea fantástica, que eu ganhara ainda grávida dessa filha e que estava seca e abandonada, havia florescido!
A única coisa que eu conseguia pensar depois era como a natureza se renova independentemente de nossa vontade ou expectativa... Como ciclos dados por encerrados ressurgem esplendorosos e nos surpreendem com seu vigor...

segunda-feira, 3 de dezembro de 2012

Bolo de limão cravo


Estive, neste final de semana, num sítio onde o limão cravo abundava no pé. Precisamos colhê-los, pois alguns ja mostravam bicadas de passarinho. O limão cravo é uma fruta que, apesar da aparência pouco atraente (tem a casca manchada e rugosa), tem um aroma perfumadíssimo e um sabor diferente do limão tahiti (na minha opinião o limão cravo é BEM mais gostoso). Por isso, de posse de 3 dúzias de limão cravo que trouxemos, parti em busca de receitas com limão na internet.
Comecei com a óbvia limonada, mas apenas 2 limões foram usados nessa empreitada (muito pouco). Descobri então uma receita de bolo de limão que usava 1 xícara do seu suco - opa! Resolvi fazê-la e o resultado foi de fato muito bom. A única coisa a observar é que eu deveria ter observado a recomendação da receita original e usado as 2 xícaras e meia de açúcar, pois a grande quantidade de suco empregada na massa lhe confere acidez acima do normal. Eu poderia também ter corrigido a doçura usando a calda indicada, mas estava muito apressada para ir ao cinema e acabou não dando tempo. Outra diferença em relação à receita original: não juntei as raspinhas de limão. As fotos serão postadas em breve.

Eu fiz da seguinte forma:

Bolo de limão cravo
3 ovos separados
2 xícaras (chá) de açúcar
2 colheres (sopa) cheias de margarina
1 xícara e meia de farinha de trigo
1 xícara de maizena
meia xícara de suco de imão cravo puro
1 caixinha de creme de leite (usei o Italac e gostei muito da textura)
1 colher (sopa) de fermento em pó

Bati as gemas com o açúcar e a manteiga. Adicionei a farinha e a maizena, alternando com o creme de leite e o suco de limão, batendo apenas até misturar e ficar homogêneo. Desliguei a batedeira e juntei delicadamente as claras em neve e o fermento em pó.
Assei em forma untada e enfarinhada, forno médio pré-aquecido, por cerca de 40 minutos. Deixei amornar, desenformei em um prato e polvilhei açúcar de confeiteiro.

domingo, 2 de dezembro de 2012

Massa para crepe/panqueca e massa para waffle

Fui adaptando essa receita aos poucos, ando satisfeita com o resultado atual.
Quando quero panquecas uso 2 ovos; quando quero crepes (mais finos), uso 3.


Massa para panqueca:
Misture 1 xícara de leite, 1 xícara de farinha de trigo, 1 colher (sopa) de açúcar, 1 colher (café) de sal, 1 colher (sopa) de margarina (dá certo com manteiga ou até com óleo), 2 ovos. Se quiser bata no liquidificador (fica u'a massa ainda mais fina). Se puder deixar descansar por pelo menos 1 hora, o resultado fica ainda melhor.
Unte a frigideira (de preferência anti-aderente) com óleo ou manteiga. Derrame massa suficiente para cobrir o fundo da frigideira (vá girando para que espalhe bem). Deixe corar e vire com a espátula para corar o outro lado. Retire e recheie a gosto.

Massa para crepe - a receita é semelhante à de panqueca, apenas com o acréscimo de mais 1 ovo.

Massa para waffle:
Misture 1 xicara de leite, 1 xícara de farinha de trigo, 1 colher (sopa) de açúcar, 1 colher (café) de sal, 1 colher (sopa) de margarina ou manteiga derretida, 1 ovo (clara e gema separadas), 1 colher (sopa) de fermento em pó. 
Misture a gema com os 5 primeiros ingredientes até ficar bem homogêneo. Ao final acrescente delicadamente a clara em neve e o fermento. Unte o aparelho próprio para waffle com manteiga. Espalhe a massa (não coloque em excesso pois cresce) e feche o aparelho. Aguarde que core nos 2 lados e retire.
Coloque a cobertura a gosto (a mais tradicional é manteiga e mel).

Essa massa de waffle permite variações de sabor; algumas possíveis são:
1. juntar cebola picadinha e cheiro verde ou orégano ou manjericão;
2. juntar queijo e/ou presunto ralados e orégano ou manjericão;
3. juntar chocolate em pó ou meio amargo picado

sábado, 1 de dezembro de 2012

Receitas da Nigella


Eu vi essa receia originalmente num livro excelente da Nigella (Nigella Bites). Já fiz as duas e adorei. Os textos foram reproduzidos de outros sites: o da Mozzarella daqui e o do brownie eu não lembro mais :-(

Mozzarella in carrozza
6 fatias de pão de forma macio (retire as cascas)
1 bola de mozarela fresca do tamanho de um punho, cortada em fatias  (geralmente uso quejo minhas meia cura, mas pode ser qualquer queijo que derreta bem)
 ½ xícara (120ml) de leite integral
 3 colheres (sopa) cheias de farinha de trigo
 1 ovo
 sal e pimenta do reino moída na hora
 ½ xícara (120ml) de azeite de oliva comum

Monte sanduíches com o pão e a mozarela, deixando uma margem sem recheio. Aperte-as bem com os dedos para selar o recheio dentro do pão (uma das vantagens de se usar o pão de forma macio é conseguir amassar bem uma fatia com a outra, fechando os sanduíches direitinho). Coloque o leite numa tigela, a farinha em outra e o ovo numa terceira. Bata o ovo e acrescente o sal e a pimenta. Aqueça o azeite numa frigideira em fogo médio. De maneira bem rápida, mergulhe os sanduíches, um a um, no leite, em seguida passe-os pela farinha. Por último, pelos ovos batidos – o segredo aqui é ser bem ligeirinho, caso contrário o pão vai ficar ensopado. Frite cada sanduíche no azeite até dourar e ficar crocante nos dois lados. Corte ao meio e sirva.


Brownie de chocolate da Nigella:
Ingredientes:
350g de chocolate meio-amargo
100g de gotas de chocolate ao leite
100g de gotas de chocolate branco
375g de manteiga
4 ovos
1 colher (sopa) de essência de baunilha
225g de farinha
1 colher (chá) de sal
350g de açúcar

Modo de preparo:
Em uma panela funda, derreta o chocolate meio amargo e a manteiga. Tire do fogo para adicionar os quatro ovos sem cozinhá-los. Adicione um de cada vez, misturando bastante. Retorne a panela ao fogo, adicione a essência de baunilha e o sal. Em seguida, coloque o açúcar, a farinha e as gotas de chocolate. Coloque a mistura em uma assadeira e leve ao forno pré-aquecido a 180ºC. Vinte e cinco minutos devem ser suficientes, mas fique de olho pois o tempo de cozimento varia de acordo com o forno.


sexta-feira, 30 de novembro de 2012

Bolo de pão de mel


Receita boa de um livrinho da Dona Benta, postada agora com minhas modificações:




3 ovos, 1 xícara de leite, 1 xícara de açúcar mascavo, meia xícara de mel, 2 xícaras e meia de farinha de trigo, 2 colheres (sopa) de chocolate em pó, meia colher (café) de noz moscada ralada, 1 e meia colher (café) de cravo em pó, meia colher (café) de canela em pó,  1 colher (chá) de bicarbonato de sódio, 1 colher (sobremesa) de fermento em pó
.
Bati as gemas com o açúcar e o mel. Ainda batendo fui juntando alternadamente a farinha peneirada com o chocolate, as especiarias e o leite. Por fim juntei mexendo delicadamente as claras em neve com o fermento e o bicarbonato de sódio.
Assei em forma redonda untada e enfarinhada por cerca de 50 minutos. Retirei, deixei amornar, desenformei, cortei ao meio, cobri com calda (1 xícara (café) de açúcar, 4 xícaras (café) de água, 2 colheres (sopa) de chocolate em pó fervidos por 3 minutos) e recheei com doce de leite (leite condensado cozido na pressão por 33 minutos). Montei o bolo e cobri com 300g de chocolate meio amargo derretido.

Numa próxima vez farei sem a calda, pois ficou mais doce do que eu gostaria.

quinta-feira, 22 de novembro de 2012

Bolo de aniversário

Hoje foi aniversário de outra pessoa querida e eu resolvi lhe levar um bolo. Aparentemente não foi boa idéia - a pessoa em questão mostrou-se avessa a comemorações e acabou não querendo cantar parabéns e nem cortar o bolo, de forma que eu não soube qual foi o sabor do resultado final.
Ainda assim gostei das texturas da massa, calda e recheio. A cobertura, porém, ficou granulosa e eu até agora não entendi o motivo...

 
 
Bolo de chocolate
 
Massa (daqui):
Cinco ovos inteiros (+ ou – 319 g pesado com casca)
1 ½ xícara (chá) de açúcar (275 g)
1 ½ xícara (chá) de farinha de trigo (205 g)
Uma xícara (chá) de chocolate (121 g)
Uma xícara (chá) de leite fervendo. Se o ovo for extragrande, colocar ¾ de xícara de leite.
Uma colher (sopa) bem cheia de fermento em pó (15 g)
Preparação:
Bater os ovos inteiros até dobrar de volume.
Acrescentar o açúcar e bater bem.
Peneirar a farinha com o chocolate, ao mesmo tempo ferver o leite.
Juntar aos ovos batidos o leite fervente alternando com a farinha de trigo e chocolate
Continuar batendo até que a massa fique cheia de bolhas.
Juntar o fermento misturando sem bater
Assar em forma redonda untada e coberta com papel manteiga untado e enfarinhado. Forno moderado 180 graus.
 
Calda (daqui):
1 medida de açúcar
4 medidas de água
Essência a gosto (usei licor Frangelico dessa vez)
Coloque a água e o açúcar em uma panela e leve ao fogo.
Assim que levantar fervura apague  fogo e tempere com essência a seu gosto.
Em virtude da baixa concentração de açúcar esta calda tem vida curta, depois de usada no bolo o restante deve ser descartado.
Recheio: 300g de doce de leite (usei marca Brasil - uma delícia), meia caixinha de creme de leite. Misture tudo e utilize.
 
Cobertura: 150g chocolate meio amargo, 100g creme de leite.
Derreta o chocolate em potência média no microondas durante 2 minutos. Retire e misture o creme de leite.
 
Montagem: depois que o bolo esfriar um pouco, desenforme, divida em 2 e espalhe a calda nas 2 metades. Espalhe o recheio e coloque a outra metade por cima. Cubra com o creme de chocolate e utilize confeitos se quiser.


terça-feira, 20 de novembro de 2012

Bolo de limão

Hoje foi o aniversário de uma pessoa muito querida que não gosta de chocolate. Assim, 85% das minhas concepções para bolo de aniversário estavam descartadas e eu resolvi ir juntando receitas conhecidas e adaptando para criar um bolo de limão adequado à ocasião.
Fiz assim: base da Graziela, recheio da minha cabeça, calda da Flavia Millas e cobertura igual ao recheio. O resultado parece ter agradado à aniversariante. Para uma próxima vez talvez eu fizesse duas coisas diferentes: dobraria a quantidade de suco de limão no recheio e cobriria com chantilly para que ficasse esteticamente melhor.
 
 
 
Fiz assim:
 
Bolo de limão
Massa: 4 ovos, 1 e 1/2 xícara (chá) rasa de açúcar, 1 colher (chá) de essência de baunilha (não usei dessa vez), suco de 1/2 limão (usei apenas as raspinhas), 1 pitada de sal, 1 xícara (chá) cheia de farinha de trigo, 1 xícara (chá) rasa de maizena, 1 colher (sopa) de fermento, 4 colheres (sopa) de óleo vegetal
Modo de Preparo: Separe as gemas das claras. Bata as claras em neve (até ficar bem dura). A seguir, adicione 1/2 xícara (chá) de açúcar e reserve na geladeira. Bata as gemas com 4 colheres (sopa) de água fervente e acrescente aos poucos 1 xícara (chá) de açúcar, a essência de baunilha, o suco de limão, o sal até obter uma massa fofa e clara. Coloque a massa sobre as claras em neve, peneire sobre ela a farinha misturada com a maizena e, por ultimo, o fermento. Incorpore delicadamente todos os ingredientes acrescentando o óleo. Disponha a massa em uma forma redonda (26cm) de aro removível, bem untada ou forrada com papel manteiga também untado (facilita demais). Deixe assar por 30-35 minutos na parte inferior do forno médio pré-aquecido. 
 
Recheio: 1 lata de leite condensado, suco de 1 limão, meia caixinha de creme de leite. Misture tudo em uma tigela e deixe descansar na geladeira.
 
Calda: 1 xícara (café) de açúcar, 4 xícaras (café) d'água, essência a gosto (usei 3 gotas de baunilha). Dissolva o açúcar na água e leve ao fogo. Quando levantar fervura retire, misture a essência e deixe esfriar antes de usar.
 
Montagem: corte o bolo (frio) em 2. Molhe as metades com a calda. Recheie com metade do creme de limão e utilize o restante para cobrir o bolo. Mantenha na geladeira até a hora de servir.
 

sexta-feira, 16 de novembro de 2012


Feriado chuvoso acabou rendendo frutos na cozinha: ontem teve bolo de banana (receita já postada aqui), pavê de chocolate, bruschettas e pão de baroa (também já postei a receita).



As receitas que faltam são as seguintes:

1. Pavê de chocolate:
1 lata de leite condensado
meia lata de leite
4 colheres (sopa) de chocolate em pó
1 colher (sobremesa) de manteiga
1 colher (sobremesa) de maizena
1 pacote (200g) de biscoito maizena
leite para umedecer os biscoitos

Faça um creme com os quatro primeiros ingredientes, mexendo sempre. Quando ferver, abaixe o fogo e continue cozihando por mais 2 minutos. Desligue e reserve.
Umedeça os biscoitos em leite e, num pirex, faça camadas alternadas de biscoitos e creme de chocolate, terminando com o creme. Enfeite com chocolate granulado (ou em raspas) e leve à geladeira. Sirva bem gelado.

2. Bruschetas
fatias de pão italiano
dentes de alho
azeite
queijo a gosto (fiz com queijo prato)
sal a gosto
tomate picado em cubinhos bem pequenos
orégano

Corte o pão italiano em fatias transversais. Esfregue cada fatia com um dente de alho e regue com um fio de azeite. Coloque por cima o queijo escolhido e os cubinhos de tomate. Tempere com sal a gosto e cubra com o orégano e mais um fio de azeite. Leve ao forno médio pré-aquecido e deixe até que o queijo derreta e o pão fique com as bordas crocantes. Sirva quente.

domingo, 11 de novembro de 2012

Quiche

Minha filha está resfriada desde ontem e, por isso, inapetente. Desde então anda complicado alimentá-la e, por isso, perguntei hoje o que ela gostaria de almoçar. A resposta foi imediata: "quiche". O que me causou certo desconforto, pois por anos a fio tentei fazer quiche, sem nunca ter tido o resultado de que gostaria. Mas filho doente dá uma motivação extra e eu fui catar uma receita que me parecesse adequada. Acabei fazendo a massa de uma receita da Nestlé (estava em um app do iPhone) e o recheio adaptado de uma receita que retirei do site da Arosa. Confesso que tirei do forno esperando ouvir o desapontador "não gostei" por parte da pequena, mas tive a grata surpresa de vê-la comendo e repetindo. Aprovação de criança inapetente vale por duas =)



Fiz assim:

Quiche de Queijo

Massa:
1 xícara de farinha de trigo, 75g margarina, 1 colher (café) de sal.
Amassei tudo com as mãos até obter uma massa homogênea. Untei uma forma canelada e coloquei a massa, criando uma pequena beirada. Assei por cerca de 15 minutos em forno médio pré-aquecido e reservei.

Recheio:
150g queijo Minas (usei frescal), 100g creme de leite (de caixinha), 1 ovo, 1 pitada de sal, 1 diminuta pitada de pimenta-do-reino
Bati tudo no liquidificador. Coloquei sobre a massa pré-assada e levei novamente ao forno até que as beiradas do recheio começassem a dourar.

Para uma próxima vez, faria duas coisas diferentes: usaria uma forma um pouco menor (ficou bem baixinha) e adicionaria noz-moscada, que dá um toque todo especial a pratos com queijo.

sábado, 10 de novembro de 2012

Fim de festa

Essa receita teve esse apelido cunhado pela mãe da minha querida amiga Amanda, que nos esperava com o doce quando voltávamos de festas na época da faculdade... Saudade do tempo, saudade da Amanda e da d. Iza, que sempre me recebeu com tanto carinho.



Na internet circula com vários nomes (Surpresa de Abacaxi, Delícia de abacaxi) e juntando várias receitas cheguei à seguinte:

1 abacaxi médio, 250 ml d'água, 100g açúcar, 1 caixinha de pó para pudim sabor baunilha, 1 caixinha de creme de leite.
Leve o abacaxi (cortado em cubinhos) ao fogo com a água e açúcar e cozinhe por 10 a 15 minutos (até o abacaxi ficar macio). Junte o pó para pudim e deixe continuar no fogo baixo por mais 1 minuto. Retire do fogo e junte o creme de leite. Mexa bem, despeje em um pirex e leve à geladeira. Sirva bem gelado.

Update: A Amanda, amiga citada acima, informou que o da mãe dela leva clara em neve por cima - essa versão chique será o tema da próxima vez.

quinta-feira, 8 de novembro de 2012

Torta de Banana de Búzios

Mais uma receita do site Rainhas do Lar. Eu já tinha feito a receita original (com chocolate), mas, como hoje era para café da manhã, resolvi abolir o chocolate e a calda. O resultado ficou certamente mais leve que a versão original.

A receita original está aqui, mas fiz pequenas adaptações:


Torta de banana de Búzios



5 ovos (para meia receita usei 3 ovos grandes)

- 2 xícaras (chá) de farinha de trigo
- 2 xícaras (chá) de açúcar
- 1 colher (chá) de canela em pó
- 1 colher (sopa) de fermento em pó

- 150 g de margarina derretida
- mais ou menos 14 bananas (3kg) nanica (dágua) cortada em fatias (para meia receita usei 7 bananas prata bem maduras)

- 150 g de chocolate meio amargo cortados em pedacinhos

Modo de Preparo:

1º - Numa tigela misture a farinha de trigo com o açúcar, a canela em pó e o fermento em pó até ficar bem misturado. Reserve

2º - Unte uma assadeira retangular (com 40 cm X 27 cm) com margarina e depois forre o fundo com metade das fatias de bananas e regue metade da margarina derretida. 

3° - Numa batedeira bata os ovos inteiros até eles dobrarem de volume(+/- 5 minutos). Reserve.

4° - Com as mãos polvilhe a metade da farinha misturada (reservada acima) e cubra com metade dos ovos batidos na batedeira. Repita novamente as camadas na mesma ordem e termine com uma camada de ovos batidos.

5º - Leve ao forno pré-aquecido a 170 graus por 35 a 40 minutos ou até ficar dourado (meia receita = 30 minutos em forno médio).

6º - Retire imediatamente do forno e incruste aleatoriamente o chocolate meio amargo. 

Sirva imediatamente regado com calda de chocolate (opcional).

domingo, 4 de novembro de 2012

Gordura trans

Hoje de manhã, ao fazer compras em um supermercado grande, tive a oportunidade de comparar diversas marcas de leites achocolatados e tive uma triste surpresa: grandes empresas como Pepsico e Batavo ainda incluem em produtos direcionados principalmente às crianças a execrada gordura vegetal hidrogenada, fonte de gordura trans (que é o tipo que mais entope nossas artérias). Eu não sou nutricionista, mas sou médica, e vejo com desprezo que tais empresas ainda se prestem a utilizar verdadeiro veneno, na contramão de uma tendência mundial. Por esse motivo resolvi utilizar este blog como forma de protestar e evitar a aquisição acidental destes produtos.
As gorduras saturadas (presentes em gorduras de origem animal como manteiga, creme de leite, gordura de carne) aumentam o colesterol ruim (LDL), mas a gordura trans vai além disso: além de aumentar o LDL, ela diminui o colesterol bom, como pode ser visto na figura abaixo:

http://www.healthyfellow.com

Tomei o cuidado de fotografar as embalagens das marcas citadas para que a informação possa ser ratificada:



>:-(




quinta-feira, 1 de novembro de 2012

Rosca de doce de leite e castanha de caju



Estava procurando uma receita de pão gostosa e, quando vi que essa fazia referência ao blog da Patrícia, decidi fazê-la imediatamente e o resultado, como esperado, ficou muito bom! As fotos de celular não fazem jus ao sabor da receita :-(


Rosca de doce de leite e castanha de caju com massa de brioche (adaptada daqui)

250ml de leite morno
20g de fermento biológico fresco
500g de farinha de trigo
75g de açúcar
1 pitada de sal
1 ovo
75g de manteiga, derretida e fria
manteiga derretida para pincelar os brioches - cerca de 1 colher (sopa) (passei gema de ovo e polvilhei castanha de caju picada)

Para rechear: 400g doce de leite cremoso, 150g castanha de caju torrada e picada

Preparo:
Peneire a farinha em uma tigela grande e faça uma cova no meio. Despeje o leite, adicione o fermento esfarelado e uma colher (chá) de açúcar. Misture um pouco com uma colher, umas duas ou três vezes, mas deixe ainda pedaçudinho. Cubra com um pano e deixe fermentar por 15 minutos. Junte os ingredientes restantes (a farinha da tigela, o açúcar, raspas de laranja (obs - opcional; não usei), o sal, o ovo e a manteiga) e misture bem, até a bola de massa se desgrudar da tigela. Se necessário, coloque mais um pouco de farinha evitando excesso para o pão não ficar duro.Cubra e deixe crescer novamente, desta vez por 45 minutos. A massa quase dobra de volume. Misture novamente e coloque a massa numa superfície enfarinhada. Abra a massa em um retângulo, recheie com o doce de leite, coloque a castanha de caju e entole como rocambole. Depois, modele como uma rosca. Coloque numa forma untada e enfarinhada. Pincele a manteiga (eu passei as gemas e polvilhei castanha de caju picada) e leve ao forno pré-aquecido até dourar.

segunda-feira, 29 de outubro de 2012

Focaccia de linguiça com cebola

Mais uma receita retirada do fantástico site da Patrícia. Pena que esqueci de fotografar depois de assada...




Focaccia de linguiça com cebola (discretamente adaptada daqui)

1 colher (sopa) de fermento biológico seco
1 colher (sopa) de açúcar
1 ½ xícaras (375ml) de água morna 
½ xícara (125ml) de azeite de oliva, e um tantinho extra para untar
1 ½ colheres (chá) de sal
4 a 4 ¼ xícaras (625-670g) de farinha de trigo 
300g de linguiça calabresa fatiada bem fino
1 cebola grande em fatias finas
pimenta do reino moída na hora
sal grosso a gosto 

Dissolva o fermento em meia xícara d'água com meia colher de açúcar.
Acrescente a xícara de água morna (250ml) e o açúcar restantes, ¼ xícara (60ml) do azeite, o sal e 1 xícara (155g) da farinha. Bata bem até tudo ficar incorporado. Junte 1 xícara (155g) da farinha, e bata novamente.
Junte a farinha restante – vá acrescentando ½ xícara (75g) por vez – e batendo com a colher de pau até obter uma massa macia que se desprende das paredes da tigela. Continue batendo, acrescentando 1 colher (sopa) de farinha se a massa grudar, até que a massa fique úmida, macia e levemente grudenta. Cubra a tigela com plástico ou filme PVC e deixe crescer por 20 minutos.
Enquanto isso refogue a cebola numa frigideira, reserve e salteie a linguiça picada bem fina. eserve também.
Forre uma assadeira retangular grande com papel manteiga e unte-o levemente com azeite de oliva. Coloque a massa sobre o papel e, com as mãos untadas de azeite, pressione e estique a massa num formato ovalado, de 2,5cm de espessura. Cubra novamente com plástico e deixe crescer, em temperatura ambiente, até que dobre de tamanho (cerca de 1 hora). A espessura passará para 5cm.
Usando as pontas dos dedos, faça buraquinhos de 2,5cm de profundidade em toda a superfície da massa – afunde os dedos até quase chegar à assadeira. Regue com ¼ xícara (60ml) restante de azeite*. Cubra com plástico mais uma vez e deixe crescer em temperatura ambiente por 30 minutos.
Cubra a focaccia com a linguiça, a cebola e alguns grãos (poucos) de sal grosso. Se quiser adicione também um pouquinho de pimenta do reino moída na hora. Leve ao forno numa assadeira e asse até que doure, 20 a 25 minutos. Verifique se o fundo do pão está dourado também – se ainda estiver branquinho, asse por mais alguns minutos.
Transfira a focaccia para uma gradinha (faça isso usando o papel) e deixe esfriar.
Sirva morninha ou em temperatura ambiente, em fatias ou quadrados.

sábado, 25 de agosto de 2012

Pão de aipim recheado com calabresa e mussarela

Adaptei essa receita do livro da Clecia Casagrande trocando a batata por aipim e processando todos os ingredientes exceto farinha e fermento. Tive uma ajuda para lá de especial :-)


Fiz da seguinte forma: cozinhei e processei 500g de aipim. Em seguida juntei 2 ovos, 30g de açúcar (usei 2 colheres e meia de sopa), 20g de sal (usei 1 colher e meia de sopa), 30 ml de óleo, 30g de manteiga (usei uma colher de sopa), 30g de fermento biológico fresco (usei um envelope de 10g do seco). Quando estava tudo bem misturado, fui juntando farinha de trigo até dar o ponto de sovar. Sovei e deixei crescer por 1h30min. Abri então a massa e recheei com um refogado de linguiça defumada picada com cebola em uma "caminha" de mussarela fatiada. Enrolei como rocambole e deixei na geladeira até a hora de assar (algumas horas depois). Os pães cresceram bem e pincelei com gemas e polvilhei com queijo parmesão ralado.
O resultado agradou no trabalho =)

domingo, 15 de julho de 2012

Saudade, de Pablo Neruda


Saudade é solidão acompanhada,
é quando o amor ainda não foi embora,
mas o amado já...

Saudade é amar um passado que ainda não passou,
é recusar um presente que nos machuca,
é não ver o futuro que nos convida...

Saudade é sentir que existe o que não existe mais...

Saudade é o inferno dos que perderam,
é a dor dos que ficaram para trás,
é o gosto de morte na boca dos que continuam...

Só uma pessoa no mundo deseja sentir saudade:
aquela que nunca amou.

E esse é o maior dos sofrimentos:
não ter por quem sentir saudades,
passar pela vida e não viver.

O maior dos sofrimentos é nunca ter sofrido.

sábado, 14 de julho de 2012

Creme de Bis

Sobremesa para dias de pressa ou preguiça, largamente difundida na internet. Vi no site Rainhas do Lar:
1 caixa de Bis picado, meia lata de leite condensado, 1 caixinha de creme de leite sem soro.
A receita manda bater tudo no liqüidificador e colocar para gelar, mas achei mais interessante aproveitar a textura do bis. Para isso, misturei o creme de leite e o leite condensado e ao final juntei o bis picadinho.
Pode ficar na geladeira ou congelador.
"em outros braços tu resolves tuas crises
Em outras bocas eu não consigo te esquecer..."

sexta-feira, 6 de julho de 2012

Semana produtiva

A semana foi bem cheia e bem corrida, o que motivou a relaxar na cozinha algumas vezes, inclusive testando receitas novas. Mas as antigas, como o bolo de laranja, também têm o seu valor :-)



Abobrinha crocante (receita daqui):
Ingredientes:
• ½ xícara de farinha de rosca
• ½ xícara de queijo parmesão ralado
• 500 g de abobrinha cortada em rodelas
• ½ xícara de leite
• Azeite para untar
• Cebolinha verde para decoração
• Sal e pimenta-do-reino a gosto

Modo de preparo: Em uma vasilha misture a farinha, o queijo, o sal e a pimenta. Passe a abobrinha no leite e logo após na farinha. Unte uma assadeira com azeite leve ao forno 30 minutos (200°C) até ficar crocante. Sirva decorada com cebolinha verde picada.
*acrescentei castanhas de caju. Acho que alho também combinaria bem.

Barrinhas mágicas (daqui):
1 ½ xícara de farinha de rosca, 120g manteiga sem sal derretida, 90g coco ralado, 1 xícara de gotas de chocolate, 1 xícara de castanha de caju picada, 1 lata de leite condensado.
Disponha os ingredientes em camadas num tabuleiro, na ordem em que aparecem na receita. Não misture. Leve a assar em forno médio por cerca de 30 minutos.

Fricassê de Frango
600g de filé de peito de frango cortado em cubinhos, 1 cebola pequena picada, 3 colheres (sopa) de óleo, gotas de óleo de gergelim (opcional), sal a gosto, ½ copo de requeijão, 1 colher (sopa) de molho shoyu, 1 caixinha de creme de leite.
Refogue a cebola no óleo. Tempere o frango com o sal e junte à cebola, deixando cozinhar até ficar bem macio (se necessário pingue água ou, se preferir, uma bebida alcoólica como conhaque ou vinho branco). Quando estiver bem cozido, acrescente o molho shoyu. Deixe dourar. Ao final junte o requeijão e o creme de leite, deixe ferver e sirva em seguida bem quente com arroz branco e batatas chips ou palha.

Bolo de Laranja
3 ovos, 2 xícaras de açúcar, ¾ xícara de margarina, 2 xícaras de farinha de trigo, 1 xícara de maizena, 1 xícara de leite, 1 colher (sopa) de fermento, raspas de laranja.
Bata as gemas com o açúcar e a manteiga até obter um creme esbranquiçado. Junte a farinha e a maizena alternando com o leite e bata. Acrescente as raspas de laranja. No final junte delicadamente as claras em neve e o fermento. Asse em tabuleiro untado e polvilhado, no forno pré-aquecido por cerca de 40 minutos. Retire do forno e cubra com a calda.
Calda: 1 xícara de açúcar, 1 ½ colher (sopa) de suco de laranja. Misture os dois ingredientes e espalhe sobre o bolo.

sexta-feira, 29 de junho de 2012

Mousses de chocolate

Ando com uma certa obsessão por mousse de chocolate. A primeira receita, do chef Olivier Anquier, eu ainda não testei. A segunda é a minha receita velha de guerra, que sempre deu super certo:

Mousse de chocolate do Olivier Anquier
Para 6 pessoas
Ingredientes:
250g de chocolate amargo (raspado)
250g de manteiga
100g de açúcar
5 ovos
Canela em pau
Sal (1 pitada)

Modo de preparo:
Coloque em uma panela o chocolate, a manteiga e dois pedacinhos de canela. Deixe em banho maria. Separe as gemas das claras em duas tigelas. Bata as gemas com o açúcar até ficar uma mistura branca. Bata as claras com uma pitadinha de sal. Quando o chocolate estiver todo derretido, misture as gemas, sem parar de mexer. Em seguida, acrescente as claras e mexa fazendo movimentos de cima para baixo com a colher. Deixe na geladeira por no mínimo 4 horas antes de servir.
Obs.: Não cubra os potes de mousse com plástico para evitar condensação de água.

Mousse de chocolate Nestlé
6 ovos, 11 colheres (sopa) de açúcar, 200 de manteiga, 200g de chocolate em pó, 4 colheres (sopa) de creme de leite, 1 colher (sopa) de Frangelico
Modo de fazer: bater as gemas com 6 colheres (sopa) de açúcar até ficar esbranquiçado. Reservar. Bater as claras em neve e juntar o restante do açúcar. Reservar. Derreter a manteiga com o chocolate em pó e reservar. Junte as gemas ao chocolate, acrescente o creme de leite e o Frangelico e misture bem. Ao final, acrescente delicadamente as claras em neve e leve para a geladeira.

Mousse ou suflê de chocolate

Essa receita eu ainda não testei, mas espero ter oportunidade na próxima semana. Vi a receita em um programa de TV e achei a proposta muito interessante. A foto virá assim que eu o fizer; a receita é daqui:

Mousse ou Suflê de Chocolate da Rita Lobo
Ingredientes:
160g de chocolate meio amargo (50% cacau)
1 colher (sopa) de cachaça
4 ovos
¼ de xícara (chá) de açúcar
Manteiga e açúcar cristal para untar e polvilhar
Açúcar de confeiteiro para decorar
Modo de preparo:
Numa tábua, pique o chocolate. Transfira para uma tigela refratária grande e leve ao micro-ondas para derreter.  O tempo pode variar, então, coloque para rodar de 1 em 1 minuto, até amolecer. Misture bem e deixe esfriar. Unte de 4 a 6 ramequins pequenos com manteiga e polvilhe com açúcar cristal – ele forma uma paredinha que serve de apoio para o suflê crescer. Leve ao congelador para firmar. Atenção: se for servir como mousse, não precisa untar e polvilhar os ramequins.
Separe as claras das gemas dos 4 ovos, que devem estar em temperatura ambiente – as claras batem melhor. Junte a cachaça às gemas e misture bem com um garfinho.  Somente quando o chocolate estiver em temperatura ambiente, misture as gemas ao chocolate – caso contrário, se o chocolate estiver muito quente, as gemas irão cozinhar. Na batedeira, bata as claras até que tripliquem de tamanho. Para começar, deixe a batedeira em velocidade baixa; assim que as claras começarem a espumar, junte a metade do açúcar. Aumente a velocidade e assim que elas começarem a firmar, junte o restante do açúcar. Teste o ponto das claras em neve com um garfo ou com o próprio batedor da batedeira. Elas precisam estar firmes, mas não podem endurecer muito.
Junte 1/3 das claras ao chocolate e misture bem. O restante, incorpore delicadamente com uma espátula, fazendo movimentos circulares, de baixo para cima. Transfira a massa para os ramequins, limpe as bordas com papel-toalha e leve à geladeira por 24 horas. Na hora de servir, preaqueça o forno a 200ºC (temperatura alta);  coloque os ramequins numa assadeira e leve para assar por cerca de 15 minutos, até crescer. Decore com açúcar de confeiteiro e sirva a seguir.

Preparo da mousse de chocolate:
Para servir como mousse, os ramequins devem ficar, pelo menos, 3 horas na geladeira, antes de irem para a mesa. Se for para servir como suflê, a massa precisa ficar 24h na geladeira, antes de ir para o forno.

Palha Italiana

Atendendo a pedidos (da receita e da preparação), fiz hoje palha italiana na casa da mãe. Como não tinha chocolate em pó, fiz com Nescau mesmo, o que não parece ter atrapalhado muito o deleite das crianças :-)

Palha Italiana: 1 lata de leite condensado, 3 colheres (sopa) de chocolate em pó, 1 colher (sobremesa) de manteiga, 200g de biscoito maizena esmigalhado.
Levar os 3 primeiros ingredientes ao forno, mexendo sempre até desgrudar do fundo da panela. Retire do forno, misture o biscoito e despeje num tabuleiro ou pirex untado. Depois de frio corte em quadradinhos e passe no açúcar.

quarta-feira, 27 de junho de 2012

Bolo de Santiago

A Patrícia, do Technicolor Kitchen, postou hoje essa receita e a combinação de ingredientes logo me despertou a atenção. Como precisava levar algo para um café-da-manhã no trabalho amanhã, resolvi experimentar a receita. Faz pouco mais de 20 minutos que o bolo está no forno e o perfume toma conta da casa inteira. A receita (daqui) foi a seguinte:

Bolo de amêndoa (Torta de Santiago)

 6 ovos grandes, claras e gemas separadas
 1 pitada de sal
 1 ¼ xícaras (250g) de açúcar cristal
 raspas da casca de 1 laranja
 raspas da casca de 1 limão siciliano
 1 colher (sopa) de Amaretto
 1 colher (chá) de extrato de baunilha
 2 ¼ xícaras (225g) de farinha de amêndoas
 açúcar de confeiteiro para polvilhar
Pré-aqueça o forno a 180°C. Unte com manteiga e enfarinhe uma forma redonda desmontável de 28cm de diâmetro (de preferência antiaderente)*.
 Na tigela grande da batedeira, com o batedor de arame, bata as claras e o sal até que picos firmes se formem. Transfira as claras para outra tigela, lave e seque a tigela da batedeira e o batedor. Novamente usando a batedeira, bata as gemas e o açúcar cristal até obter um creme claro e homogêneo. Junte as raspas de laranja e limão, o Amaretto e a baunilha. Acrescente a farinha de amêndoas e bata bem.
 Com o auxílio de uma espátula, incorpore as claras à massa, misturando de baixo para cima – a massa é bem espessa. Despeje na forma preparada e alise a superfície. Asse por cerca de 40 minutos ou até doure e esteja firme ao toque (faça o teste do palito).
Deixe esfriar completamente na forma, sobre uma gradinha, antes de desenformar.
 Antes de servir, polvilhe com açúcar de confeiteiro – se quiser, corte a cruz de São Tiago em um pedaço de papel manteiga e coloque no centro do bolo antes de polvilhá-lo com açúcar (eu usei um coração).
* fiz 2/3 da receita acima usando uma forma de 20cm de diâmetro, antiaderente) forrei o fundo da forma com um círculo de papel manteiga e untei o papel também. Obs: o bolo é muito mais interessante no quesito cheiro do que na textura ou sabor :-(
Rend.: 10 porções

sábado, 23 de junho de 2012

Pavê de Chocolate

A receita é do Panelinha:

Para a base
Ingredientes

 250 g / 1 pacote de biscoito champanhe (fiz com biscoito maizena)
1 copo americano leite
3 colheres (sopa) de achocolatado em pó
2 colheres (sopa) de conhaque
200 g de chocolate meio amargo
2 colheres (sopa) de açúcar
2 colheres (sopa) de manteiga
1/2 xícara (chá) de leite

Modo de Preparo
1. Numa panela pequena, junte 1 copo de leite, o achocolatado e o conhaque e leve ao fogo médio. Quando ferver, desligue e deixe esfriar.
2. Com o auxílio de uma colher, mergulhe um biscoito champanhe (ou maizena) de cada vez na mistura de leite com achocolatado e o conhaque por apenas 10 segundos. Retire, deixe escorrer o excesso e disponha o biscoito numa travessa retangular de tamanho médio. Repita a operação com todos os biscoitos, colocando-os uns ao lado dos outros até formar uma camada completa. Reserve.
3. Numa panela, coloque a 1/2 xícara (chá) de leite, o chocolate picado, o açúcar e a manteiga. Leve ao fogo baixo, mexendo sem parar até o chocolate derreter completamente. Desligue o fogo.
4. Com uma colher, regue a camada de biscoitos com a mistura de chocolate derretido. Espalhe bem a mistura com as costas da colher.

Para a cobertura
Ingredientes

 2 latas de leite condensado (fiz com uma lata apenas)
1 medida de lata de leite (fiz com 3/4 da medida)
3 ovos (fiz com 2)
1 caixinha de creme de leite
2 colheres (sopa) de açúcar

Modo de Preparo
1. Em duas tigelinhas, separe as claras das gemas.
2. Numa panela, junte o leite, as gemas e o leite condensado e leve ao fogo médio até ferver, mexendo sempre. Abaixe o fogo e continue mexendo. Quando o creme começar a desgrudar do fundo da panela, conte 5 minutos e desligue. Deixe esfriar.
3. Na batedeira, coloque as claras e bata até o ponto neve. Acrescente o açúcar e continue batendo por mais 3 minutos. Junte o creme de leite à e bata rapidamente para misturar por, aproximadamente, 30 segundos.
4. Na travessa com os biscoitos, despeje o creme de gemas e de leite condensado. Espalhe bem com as costas de uma colher. Cubra com o creme de claras e espalhe com cuidado, para que o pavê fique bem nivelado. Leve ao congelador por 1 hora e meia. Retire do congelador e sirva a seguir.

sexta-feira, 22 de junho de 2012

Bolo Indiano

Hoje teve festa junina no trabalho e resolvi que faria algo com canela, que, na minha acepção, combina tão bem com o inverno. Pensei em rabanada inicialmente, mas aí lembrei de uma amiga querida que estaria por lá e que, como eu, é chegada em bolo indiano, e resolvi fazer a receita:

Para a massa: bati no liquidificador 3 gemas + 2 ovos inteiros e 3/4 de xícara de óleo. Depois misturei a isso 2 xícaras de açúcar e 2 xícaras de farinha de rosca. No final adicionei suavemente 1 colher (sopa) de fermento e 3 claras em neve. Assei em tabuleiro untado e polvilhado com açúcar e canela.
Para o recheio: levei ao fogo mexendo sempre 1 lata de leite condensado, 1/2 lata de leite, 1 gema e 1 colher (sobremesa) de manteiga até o ponto de brigadeiro mole. Recheei e cobri o bolo com essa mistura e polvilhei canela por cima.
Da próxima vez faria com mais canela (na massa, provavelmente).
"O amor tem feito coisas
Que até mesmo Deus duvida
Já curou desenganados
Já fechou tanta ferida

O amor junta os pedaços
Quando um coração se quebra
Mesmo que seja de aço
Mesmo que seja de pedra
Fica tão cicatrizado
Que ninguém diz que é colado

Foi assim que fez em mim
Foi assim que fez em nós
Esse amor iluminado"

quarta-feira, 20 de junho de 2012

"Acredito que a decepção, às vezes, é uma bênção de Deus. É apenas Sua maneira de deixar com que eu perceba que Ele me salvou de escolher o caminho errado."

Decepção ainda

A decepção dói por que ela destrói toda uma estrutura que construímos em torno de um sentimento. Está tudo em nossa cabeça, mas como todo sentimento forte ela também se reflete em nosso espírito. É preciso autocontrole para refletir, frieza para planejar e criar um novo projeto para substituir o que foi destruído pela decepção. Geralmente ela é mais forte quando nos atinge naquilo que mais confiamos. Mas, o que tenho a dizer sobre o resultado? Confiar nos propósitos de Deus é essencial, manter a boa conduta também. Não posso devolver uma agressão com outra pior. A decepção vai passar, mas a lembrança fica.

Decepção

"Não posso escolher o que sinto, mas posso escolher o que fazer a respeito disso."
A vida segue.

domingo, 17 de junho de 2012

sexta-feira, 15 de junho de 2012

Semana produtiva

A semana começou com trufas de chocolate e a volta a receitas que só dão certo no inverno. Seguiu com bolo de aipim, canjica e bolo de banana. Ainda dá tempo para um bolo de chocolate alpino ou um bolo piquenique - quem sabe amanhã?

Bolo de banana, trufa de chocolate com amêndoas perfumadas com Frangélico e bolo de aipim

Porque não há lugar melhor para relaxar do que a cozinha :-)

quinta-feira, 14 de junho de 2012

Bolo de aipim

Aniversário do pai, eu bem que o queria por perto para dividir esse bolo com ele...

Não me lembro o site de onde saiu, mas acho que foi do Tudo Gostoso.

Bolo de aipim cozido
Cerca de 1/2 kg de aipim cozido, 2 xícaras (chá) de açúcar, 200 g de manteiga, 4 ovos, 50 g de coco seco ralado, 1 xícara (chá) de farinha de trigo, 1 colher (sopa) de fermento em pó, 100 ml de leite de coco

Modo de Preparo
Bata no processador o aipim, os ovos, o leite de coco e a manteiga, formando um creme. Reserve. Em um recipiente coloque o açúcar, a farinha de trigo, o coco seco ralado, misture e adicione o creme batido no liquidificador. Por fim adicione o fermento. Coloque em forma untada e enfarinhada. Leve para assar em forno médio, pré-aquecido, por aproximadamente 40 minutos, até que doure. Faça o teste do palito
Informações Adicionais • Obs.: Pode ser feito com sobras de aipim guardadas no freezer.
O aipim pode ter sido cozido com sal que não altera o gosto do bolo.

quinta-feira, 7 de junho de 2012

Feijão que dá certo

Se eu tivesse ouvido a minha mãe e a Do Carmo antes, teria feito as pazes com a panela de pressão há muito tempo.
Modéstia à parte, esse feijão ficou uma delícia: 45 minutos depois que a panela começou a chiar e o resultado quase inacreditável estava lá! Temperei depois com alho e sal refogados e... voilà! Eu sei fazer feijão gostoso!!!

domingo, 13 de maio de 2012

Dia das mães

Os amigos mais próximos sabem que não só eu não ligo para o dia das mães como tenho inclusive alguma restrição à data, fruto da participação no permanente sofrimento de meu meio-irmão em não ter a mãe presente para comemorar.
Os meus filhos também sabem disso e faço questão de dizer a eles que não ligo mesmo para presentes.
Mas nesse ano não houve como não me emocionar: o Pedro (mais velho) teve a iniciativa de providenciar ingredientes, planejar o "cronograma" e solicitar a ajuda do pai para confeccionar esses brownies sugeridos pela professora de matemática. A receita já é muito boa (será postada em breve), mas o toque das mãos do filhote é único :-)

quinta-feira, 3 de maio de 2012

Bolo de cenoura

Tarde de outono, uma vontade de fazer um bolo... Acabou saindo um clássico que há tempos eu não fazia: Bolo de Cenoura.

A receita foi adaptada ao longo do tempo e a que eu uso hoje é a seguinte:
Massa: 2 cenouras grandes picadas, 4 ovos, 3/4 de xícara de óleo, 2 xícaras de açúcar, 2 xícaras de farinha de trigo, 1 colher (sopa) de fermento em pó. Bater as gemas com a cenoura e o óleo no liquidificador. Despejar em uma vasilha e misturar o açúcar e a farinha de trigo. Ao final adicionar (misturando levemente) o fermento e as claras em neve. Assar em forno médio, forma untada e enfarinhada.
Cobertura: 8 colheres (sopa) de açúcar, 2 colheres (sopa) de achocolatado em pó, 2 colheres (sopa) de manteiga, 1 colher (sopa) de leite. Levar tudo ao fogo mexendo e deixar ferver por 3 minutos. Retirar e cobrir o bolo ainda quente.
Ao desenformar o bolo (que ainda estava pelando, mas a ansiedade é grande demais), ele quebrou... Mas o resultado final parece fofo e ele vai ser levado para o final de tarde no trabalho.

quarta-feira, 2 de maio de 2012

Marquês de Pombal

Li hoje num texto do dr. Luiz Alberto Py uma frase que teria sido dita pelo Marquês de Pombal após um grande terremoto ocorrido em Lisboa, no dia 1º de novembro de 1755: "Sepultar os mortos, fechar os portos e cuidar dos vivos". O Dr. Luiz Alberto discursa brilhantemente sobre tal passagem, como lhe é habitual, explicando como tal assertiva pode ser aplicada à nossa vida, deixando para trás o passado, cuidando do presente e evitando manter o foco em problemas aleatórios que nos desviam das prioridades. Recomendo a leitura!

Deus levou para junto dele, no dia 30/4, uma tia que, não tendo filhos, foi mãe de todos os sobrinhos, imrãos, cunhados e até dos próprios pais. As sobrinhas mais velhas têm a lembrança de passear com ela na rua, sempre com um lanche coroando o dia. Os mais novos já pegaram a fase em que ela e seu marido abriam as portas da casa de campo para receber a todos, com uma alegria que só transborda de um infinitamente generoso coração de mãe.
Ela adoeceu no ano passado, doença insidiosa e devastadora ao mesmo tempo. O tratamento foi capaz de lhe amenizar em parte o sofrimento, mas a hora da partida chegou e ela se foi num piscar de olhos.
Na cabeça de todos, tenho certeza, fica alguém que estava sempre alegre e cujas roupas e adereços também refletiam seu estado de espírito. Cuidou de todos e agora continuará cuidando de nós lá de outro plano, que deve estar em festa com a sua chegada.
Um beijo grande, Diliam. Um dia nos encontraremos e a festa continuará com todos juntos.

segunda-feira, 30 de abril de 2012

Comida mineira

Almoço na casa da tia, delícias em sequência que tornaram difícil a escolha do prato... acabamos comendo um pouquinho de cada coisa e saímos de lá compreendendo a razão de comida mineira ser sinônimo de fartura...
no sentido horário: frango de panela, arroz feijão vermelho, chuchu com bacalhau, batata palito feita em casa (não comia há muito tempo) e carne moída; na foto central se vê ainda o angu d-e-l-i-c-i-o-s-o
De sobremesa um pudim de leite amarelinho, feito com ovos da roça, e doce de leite uruguaio. E um sono depois, para restaurar as forças depois desse banquete...

domingo, 29 de abril de 2012

Raclette e fondue

Sábado à noite em Juiz de Fora, o frio do outono já começava a aparecer. Uma tia que tem sempre uma mesa posta tão linda para nos receber mais uma vez abriu as portas e fez uma deliciosa raclette, seguida por fondue de chocolate.

Fondue, Raclette e Pão de Ervas com azeite e espumante
Fiz mais uma vez a receita do pão de ervas.
A refeição foi uma delícia, só superada pela alegria que é estar juntos em família.

domingo, 22 de abril de 2012

Frango Xadrez

Domingo chuvoso, uma preguiça vergonhosa de sair de casa associada à percepção de que eu preciso melhorar meus hábitos alimentares. A saída era preparar um jantar aconchegante, saudável e saboroso em poucos minutos, pois a fome era muita e a tentação de saciá-la com alimentos mais 'imediatos' era grande.
Lembrei-me imediatamente de uma valiosa dica da minha amiga Michelle: o Molho Xadrez Uncle Ben's, que já estava estrategicamente disponível na despensa. Eu já tinha feito arroz branco fresco mais cedo e um franguinho xadrez casaria perfeitamente.

Resolvi fazer uma combinação entre a receita sugerida no rótulo e as instruções de receitas bem avaliadas na internet e preparei desse jeito: piquei meio pimentão verde em cubinhos de 0,5 cm, meia cebola média mais ou menos do mesmo tamanho e espremi um dente de alho. Em uma frigideira de T-fal, aqueci o óleo (pouco, coisa de 1 colher de chá), refoguei a cebola até que murchasse e em seguida acrescentei o alho. Quando pareciam cozidos acrescentei o pimentão verde e deixei que cozinhasse também, pingando um pouquinho de água. Juntei 4 colheres (sopa) do Molho Xadrez, esperei ferver e retirei da panela. Coloquei então na mesma frigideira (vazia agora) o frango (cerca de meio peito em cubinhos), que eu havia temperado com sal e pimenta-do-reino moída na hora. Deixei dourar e ao final pinguei um pouquinho d'água para que ficasse bem macio. Quando estava no ponto desejado, juntei os legumes com o molho e deixei ferver brevemente só para aquecer.

Só lembrei de tirar a foto quando já tinha comido metade do prato (primeiro dia de dieta é triste...). A refeição atendeu a tudo o que eu queria: aqueceu o estômago e a alma, foi nutritiva, saudável e saborosa. O valor calórico do Molho Xadrez também é bastante razoável para quem conta calorias: 12 kcal/colher de sopa e, vencendo a tentação de juntar os tradicionais amendoins inteiros ao final do processo, acabei comendo um Frango Xadrez delicioso e magrinho :-)

sábado, 21 de abril de 2012

Minha amiga Leila me ligou na quarta-feira de cinzas pela manhã, aconselhando que eu ligasse a TV e visse a receita que estava sendo preparada no Mais Você. Vi e logo veio a inquietude de reproduzir o bolo, cuja receita é a seguinte:

Bolo de Chocolate Recheado de Forno
ingredientes
Recheio
 1 lata de leite condensado
 ½ litro de leite
 2 gemas
 2 ½ colher (sopa) de amido de milho
 150 g de chocolate meio amargo picado
 1 lata de creme de leite

Massa
 100 g de margarina
 2 gemas
 1 ½ xícara (chá) de açúcar
 6 colheres (sopa) de chocolate em pó
 2 xícaras (chá) de farinha de trigo
 1 xícara (chá) de leite
 1 colher (sopa) de fermento em pó
 2 claras batidas em neve

Cobertura
 300 g de chocolate meio amargo picado

modo de preparo
Recheio
1°- Coloque numa panela 1 lata de leite condensado, ½ litro de leite, 2 gemas e 2 ½ colher (sopa) de amido de milho e leve ao fogo médio até engrossar. Desligue o fogo, adicione 150 g de chocolate meio amargo picado e misture até derreter o chocolate. Deixe esfriar e acrescente 1 lata de creme de leite.
Cobertura
2º- Retire 2 xícaras (chá) de creme de chocolate (feito acima), coloque numa panela e adicione 300 g de chocolate meio amargo picado. Leve ao fogo médio mexendo sempre até o creme deslizar da colher (+/- 6 minutos). Reserve.
3°- Coloque o restante do creme de chocolate num saco plástico e reserve.
Massa
4°- Numa batedeira coloque 100 g de margarina, 2 gemas e 1 ½ xícara (chá) de açúcar e bata bem até formar um creme claro (+/-10 minutos). Desligue a batedeira e adicione 6 colheres (sopa) de chocolate em pó, 2 xícaras (chá) de farinha de trigo, 1 xícara (chá) de leite e 1 colher (sopa) de fermento em pó e bata até formar uma mistura homogênea (+/- 5 minutos). Desligue a batedeira e acrescente 2 claras batidas em neve e misture delicadamente.
5°- Coloque numa assadeira untada e enfarinhada metade da massa de chocolate (feita acima). Faca um pequeno furo no saco e espalhe o recheio de chocolate levemente sobre a massa e cubra com o restante da massa de chocolate. Leve ao forno médio pré-aquecido a 180°C por 1 h. Retire do forno e deixe esfriar.
Montagem
6°- Desenforme o bolo num prato de servir, cubra com a cobertura de chocolate (reservado acima), decore com granulado de chocolate e sirva em seguida.
O que fiz diferente: eu não assei o bolo já com recheio, pois não tenho (e nem sei usar) saco de confeiteiro. Assei normalmente, retirei e depois de frio cortei e recheei.
Levei de presente para a Leila, mas achei que o recheio ficou mole para ser usado como fiz (da próxima vez deixarei engrossar mais...)

quinta-feira, 19 de abril de 2012

Aniversário de amigos

Dois amigos queridos do trabalho comemoraram aniversário na semana que passou e resolvi levar um pão recheado e um bolo para comemorar.
Algumas batatas baroa 'sorriam' para mim na geladeira e resolvi adaptar a excelente receita de pão de batata tradicional do livro da Clecia Casagrande. Fiz da seguinte forma: cozinhei e espremi 500g de batata baroa. Em seguida juntei 2 ovos, 30g de açúcar (usei 2 colheres e meia de sopa), 20g de sal (usei 1 colher e meia de sopa), 30 ml de óleo, 30g de manteiga (usei uma colher de sopa), 30g de fermento biológico fresco (usei um envelope de 10g do seco). Quando estava tudo bem misturado, fui juntando farinha de trigo até dar o ponto de sovar. Sovei e deixei crescer por 1h30min. Abri então a massa e fiz 2 pães recheados: um com um refogado de linguiça defumada picada com cebola e pimenta calabresa (deitei este recheio em uma "caminha" de mussarela fatiada) e outro, para um amigo muito querido que estava em temporária abstinência de carne, apenas com mussarela e orégano. Enrolei como rocambole e deixei na geladeira até a hora de assar (algumas horas depois). Os pães cresceram bem e pincelei apenas com azeite para corar. Achei que ficaram boa textura, mas algo salgados (colocaria apenas 1 colher de sopa cheia de sal na massa da próxima vez).

Para o bolo usei uma receita conhecida daqui, transcrita seguir:
Base para tortas recheadas
Ingredientes
- 4 ovos
- 1 e 1/2 xícara (chá) rasa de açúcar
- 1 colher (chá) de essência de baunilha
- suco de 1/2 limão (não usei, pois achei que não combinaria com o amendoim do recheio)
- 1 pitada de sal
- 1 xícara (chá) cheia de farinha de trigo
- 1 xícara (chá) rasa de maizena
- 1 colher (sopa) de fermento
- 4 colheres (sopa) de óleo vegetal
Modo de Preparo
Separe as gemas das claras. Bata as claras em neve (deixa ficar bem dura). A seguir, adicione 1/2 xícara (chá) de açúcar e reserve na geladeira. Bata as gemas com 4 colheres (sopa) de água fervente e acrescente aos poucos 1 xícara (chá) de açúcar, a essência de baunilha, o suco de limão, o sal até obter uma massa fofa e clara. Coloque a massa sobre as claras em neve, peneire sobre ela a farinha misturada com a maizena e, por último, o fermento. Incorpore delicadamente todos os ingredientes acrescentando o óleo. Disponha a massa em uma forma redonda (26cm) de aro removível, bem untada ou forrada com papel manteiga. Deixe assar por 30-35 minutos na parte inferior do forno pré-aquecido. Temperatura: (190ºC); (forno à gás), (175ºC) (forno elétrico).

Recheei e cobri com uma mistura de doce de leite, creme de leite e amendoim moído. O bolo ficou saboroso, mas é quase um pão de ló e achei que pede uma calda ou, alternativamente, que seja servido com sorvete.
As fotos estão num celular que se recusa a funcionar - se ele voltar a dar sinal de vida elas serão postadas...

Rainhas do Lar

Comecei a descobrir o mundo maravilhoso das receitas na internet pelo site cybercook. A atividade se 'infiltrando' na minha vida insidiosamente mas, quando descobri os blogs de culinária, aí a coisa saiu de controle de vez. Existe um número imenso de blogs excelentes para se visitar, mas dois dos meus favoritos são o Technicolor Kitchen, da Patricia Scarpin e o Rainhas do Lar, da Katita e Faby. Porém, no ano passado, o Rainhas do Lar encerrou suas atividades e anunciou que ficaria no ar por um período limitado para que as pessoas buscassem suas receitas. Eu já havia feito diversas receitas de lá e não me lembro de nenhuma delas ter dado errado. Com medo de que o site realmente fosse encerrado, resolvi copiar minhas receitas favoritas para publicar aqui. Todas foram testadas e aprovadas:

1. Sopa rústica de mandiocaNa panela de pressão coloque pedaços de linguiça bem finos. Deixe até que começasse a fritar e "pegar" na panela. Juntei um pouquinho de azeite, uma cebola e meia picada, uns 3 dentes de alho amassados, 2 folhas de louro e deixe tudo fritando até dourar. Cobri com água quente, temperei com sal e pimenta e acrescente a mandioca cozida e deixei tudo cozinhando (sem pressão) até virar um caldo grosso, mexendo vez ou outra para não grudar no fundo da panela. Parte da mandioca derrete e outra parte fica em pedacinhos macios, do jeito que eu queria.
Já no prato (ou aqui no caso, uma caneca para sopa) junte um fio de azeite, pimenta do reino moída na hora, cebolinha picada e servi fumegante, pra espantar o frio.

2. Escondidinho de mandioquinha com linguiça
Leve a linguiça toscana já sem a pele para a panela e deixe que ela reduza, frite e comece a dourar. Então, acrescente cebola em tirinhas, pimenta do reino moída na hora e sal.
À parte cozinhe a mandioquinha, passei pelo espremedor e fiz um purê com leite, manteiga e sal. Vale dizer que a consistência do purê vai do gosto do freguês mas é bom que ele esteja mais para firme. A textura também vai de gosto e para obter um purê lisinho e fofo pode-se usar o processador, sem problemas.
Depois do purê pronto, ajeite no pirex assim - uma camada do purê de mandioquinha, o recheio de linguiça e mais purê. Para finalizar um coalho ou parmesão são perfeitos. Forno quente até gratinar.

3. Bacalhau espiritual

2 fatias de pão de forma sem borda
2 copos de leite
2 cebolas (ou até mais para quem gosta) picadas, de preferência no processador
Alho
2 cenouras grandes picadas (processador)
2 "belas e altas" postas de bacalhau cozidas e picadas (processador)
Azeite
Sal e pimenta
Molho bechamel
Purê de batata
2 gemas
Coloque o pão de molho em leite morno. Aqueça uma panela e vai colocando azeite... cebola... as cenouras... o bacalhau... o pão (já espremido)... sal... pimenta... Deixe cozinhar por uns 20 minutos em fogo baixo. Depois misture o purê de batatas, as gemas, metade do molho bechamel e coloque tudo numa travessa. Cubra com o restante do molho bechamel, acrescente queijo ralado e leve ao forno para gratinar.

4. Estrogonofe de camarão I
Limpe bem 1 kg de camarões médios, que se transforma em 500g depois disto e deixe marinando de véspera numa mistura de 1/2 cebola ralada, 2 dentes de alho picado, 4 folhas de louro rasgadas, suco de 1/2 banda de limão, 1 colher de chá de sal, pimenta branca, e 1 punhado de tomilho seco; misture os camarões ali, coloque numa vasilha funda do tamanho exato de comportar os camarões confortavelmente, e some vinho branco. Coloque o camarão marinado na frigideira e leve ao fogo para cozinhar um pouco e reduzir o caldo. Reduziu, some cebola picadinha e manteiga de garrafa; nessa bendita hora entra uma concha de conhaque para dar uma flambada. Ao final, creme de leite sem soro. Finalizar com salsinha picada.

5. Estrogonofe de camarão II
Separe camarão limpo, coisa de 500g. Salgue na hora e coloque a frigideira inox no fogo baixo com manteiga e alho picado (pode ser cebola também) para dourar. Depois junte o camarão salgado na hora e refogue ali até ficarem rosados; deite 1/2 copo de cachaça da boa nessa hora e deixe evaporar o alcool, depois junte 2 colheres de sopa de catchup e 3 de mostarda, bem cheias. Por último, com o estrogonofe já pronto, junte o equivalente a uma caixinha de creme de leite, desligue o fogo imediatamente e sirva pelando com arroz fresquinho!

6. Cubos de frango com molho de abacaxi e castanha
Corte 2 peitos de frango, primeiro em fatias grossas e depois em cubos; tempere com sal, pimenta branca, 1 colher de chá bem cheia de curry, pasta d'alho e gotas de limão, e reserve por 2 horas na geladeira.
Na panela de ferro (sempre em fogo baixo), refogue pétalas de cebola em óleo de gergelim (mas podia ser qualquer outro) e juntei os cubos de frango. Uma vez bem refogadinho, some 1/2 copo de cachaça da boa (mas poderia ter sido vodka, vinho branco, sakê), deixe evaporar o alcool e complete com umas 3 xícaras de caldo de galinha caseiro (com alho poró). Daí eu deixe reduzir um pouco, coisa de 1/3, que foi o tempo do frango ficar macio; só então eu some 4 rodelas de abacaxi cortados em cubos grossos, e coisa de 1/2 xícara de leite de coco. Envolva bem, e adicione por último um punhado de castanhas torradas e outro de cheiro verde. Apague o fogo e abafe um pouquinho só antes de servir. Para acompanhar, arroz pilaf.

7. Frango com manga e castanha de caju
Corte uns 800 grs de peito de frango em cubos e frite-os em manteiga com uma cebola picadinha até dourar. Bota sal e vai peneirando 2 colheres de sopa de farinha de trigo e mexendo. Nessa altura você já dissolveu 2 tabletinhos de caldo de galinha em 2 xícaras de água fervendo.
Junte esse caldinho lá no franguinho e aproveita e coloca também 1/2 xícara de castanhas de cajú picadinhas, coloque a castanha no frango, depois 1 colher de gengibre ralado e outra colher de sopa de polpa de tomate ou, se preferir, coloral (é só pra dar uma corzinha). Espere ferver, abaixa o fogo e cozinhe uns 20 minutinhos. Se for secando vá acrescentando um bocadinho de água até completar o cozimento do frango.
Não é para deixar o frango totalmente seco. No final do cozimento é importante que ele ainda esteja molhadinho, daí você desliga, junta coentro picado e 2 mangas tommy ou haden descascadas of course e cortadas em cubos. O próprio calor do frango já vai dar uma certa amolecida na manga.

8. Farofa de arroz 7 grãos
Para fazer, cozinhe o arroz 7 grãos só com sal, escorra e deixe reservado. Lembrando que esse arroz vai sempre ficar al dente. Depois, numa panela com um pouquinho de manteiga, frite linguiça defumada picada em cubinhos. Depois que estiver fritinha acrescente cebola, alho e temperos de sua preferência (ervinhas, pimenta calabresa, etc). Depois que tudo estiver douradinho, quebre na panela um ovo e deixe ele começar a fritar sem mexer - quando começar a ficar com a clara branca aí sim pode mexer e incorporar tudo. Neste momento, é só acrescentar um bom punhado de castanhas do pará raladas e, por último, farofa pronta Yoki. Mexeu, misturou, junte lá o arroz já cozido e escorrido e voilà!
Pode colocar castanha de caju, pode trocar a farofa pronta por farinha de mandioca simplesmente, e pode até utilizar linguiça fresca, que não deve ficar tão saborosa, é verdade, mas que pode quebrar um galho se a vontade for muita e a defumada não estiver à mão.
Amendoim salgado de microondas: coloca uma pacote de amendoim (Yoki é o melhor, todos do mesmo tamanho, pra vc não morder um amendoim queimado bem no meio do assunto) em um refratário e leva na potência alta por cinco minutos. Tira do forno, joga por cima uma salmora feita com duas colheres (sobremesa) rasas de sal e três colheres (sobremesa) de água. Mexe bem e mais cinco minutos na potência alta. quando esfriar prove e se não estiver crocante pode por no forno mais um minutinho. O tempo vai depender do forno de cada uma, tem que experimentar.

9. Linguiças no mel
500 gramas de lingüiça Sadia cozida e defumada. Eu uso a Sadia, mas pode ser outra desde que seja cozida e defumada. Geralmente ela vem em pacotes a vácuo, e com 4 unidades.
- Champagne, pode ser qualquer uma, eu uso a Cidra Cerezer de Maçã que é mais barata.
- Pimenta calabresa seca. Ela é usada no meio do cozimento e dará o toque apimentado ao petisco.
- Mel. O mel é usado na parte final do cozimento e serve pra quebrar um pouco o ardor da pimenta e engrossar o caldo da lingüiça.
Corte a lingüiça em fatias... ...coloque na panela e cubra com o champagne...
 ...leve ao fogo baixo com a panela tampada até começar a ferver, tire a tampa e deixe cozinhar.
Quando o champagne começar a evaporar e o caldo começar a ficar grosso é hora de colocar a pimenta, vai do gosto de cada um, eu costumo colocar pra esta quantidade de lingüiça meia colherinha de café, mexa bem e deixe lá cozinhando mais um pouco.
Quando secar quase todo o caldo, a lingüiça vai ficar parecendo caramelada, com uma cor bem caramelo mesmo, aí, desligue o fogo e coloque o mel, mais ou menos umas 4 ou 5 colheres de sopa, vai no olho, não pode ficar boiando no mel, é só pra envolver a lingüiça. Mexa misturando bem e está pronto.

10. Pãozinho de queijo e tapioca
Hidrate 4 xícaras de farinha de tapioca em 2 xícaras de leite morno. Deixe hidratar por uns 40 minutos e, se necessário, coloque mais um tantinho de leite, apenas o suficiente para manter a mistura úmida. O resultado final não deve ser nada muito molhado, ok? Depois de hidratada, junta à tapioca 1 ovo, 2 xícaras de queijo ralado (aqui cabe quase qualquer queijo - eu usei meia cura e parmesão, mas dá pra usar os suiços e até um pedacinho de algum mais forte, como o roquefort ou gorgonzola - com moderação, claro), tempere com sal (não se esqueça que, a depender do queijo, há que se tomar cuidado com o sal - parmesão por exemplo já é um tantinho salgado) e acrescente 1/2 xícara de polvilho azedo. Bom, eu usei 1/2 xícara, mas fui colocando aos poucos, até chegar na consistência que achei perfeita - não era pra ser uma massa firme, que pudesse ser moldada com a mão, mas também não deveria ser nada muito molenga, pois seria necessário fazer as bolinhas para assar.
Para fazer os pãezinhos eu usei a colher de sorvete, assim, todos ficam com um tamanho parecido e é mais fácil de você dispôr a massa na assadeira. Uma dica: vocês podem ver que eu usei papel manteiga na assadeira, certo? Não sei porque eu me passei e não untei - resultado: grudou no papel. Pode-se usar Silpat. Depois de montar os pãezinhos, outro truque: leve a forma ao freezer por uns 15 minutinhos para que os pãezinhos fiquem firme e a massa não espalhe demais. Para assar, nada de forno ultra quente! Forno médio pré-aquecido uns 10 minutos e aí é o tempo deles ficarem douradinhos - no meu caso foram 50 minutos em forno médio/baixo.

11. Bolo de fubá mimoso
Bata no seu liquidificador, comadre (sim porque você não é obrigada), 1 xícara de leite, 3 ovos, 1 xícara de fubá de milho, 1/2 xícara de óleo, 1 xícara de farinha de trigo, 2 xícaras de açúcar e bata. Depois some 1 colher de sopa de fermento e bata mais um pouquinho. Por fim, misture 1 colher de sopa de erva doce com uma colher (pode até ser no copo do liquidificador mesmo).
Deite a massa numa forma untada com manteiga e polvilhada com açúcar e leve ao forno pré-aquecido por uns... 30 minutos?
Uma gracinha opcional: corte cubinhos bem pequenininhos de goiabada, polvilhe com farinha de trigo (para não afundar) e jogue sobre a massa antes de levá-la ao forno. Ou então, derreta a goiabada em banho-maria com um bocadinho de água e cubra o bolo depois de assado.

12. Bolo de fubá cremoso
No liquidificador vão primeiro os secos - 1 xícara e meia de fubá, 2 xícaras de açucar e 2 colheres de sopa de farinha de trigo (cheias). Na sequência, 2 colheres de margarina, 4 xícaras de leite, 3 ovos e 1 pitada de sal. Depos de bater bem é só acrescentar 1 pacote de queijo ralado (100gr), raspas de limão e 1 colher sopa de fermento em pó, misturar bem, colocar em fôrma untada e enfarinhada e levar para assar em forno pré-aquecido.
O que precisa ser dito sobre esse bolo...
. o recheio cremoso vai ficar bem no meio do bolo e ele deve ficar mais molinho, lembrando mesmo um creme;
. não se assuste com a consistência do bolo quando você bater no liquidificador - ele fica bem líquido mesmo, feito um pudim, e você pode até pensar que aquilo não vai virar bolo nunca, mas vai, believe me;
. esse não é um bolo que cresce horrores... ele fica macio, mas não é daqueles tipos de bolo fofíssimos, que levam clara em neve, óleo e talecousa;
. o pulo do gato dessa receita, segundo a minha tia, é o tamanho da fôrma - o ideal é usar uma forma média (eu usei uma retangular nr. 2) e alta, porque se a fôrma for muito grande e baixa o creme de queijo não se separa legal;
. eu gosto desse bolo assim, cortado em quadradinhos, mas se você quiser usar uma fôrma redonda, tudo bem... só não esqueça que ela não deve ser muito grande;
. o bolo estará pronto quando estiver dourado, mas pode ser que no teste do palito ainda não saia completamente limpo - isso acontece por causa do creminho do meio.

13. Bolo de fubá caipira
Bater 5 gemas com 2 xícaras de açucar e 1 xícara de manteiga, juntar 2 xícaras de farinha de trigo, 2 xícaras de fubá e um vidro de leite de coco (200ml). Bater bem, acrescentar 1 colher de fermento em pó, noz moscada ralada (ou erva-doce, ou raspas de limão) e as 5 claras batidas em neve. Incorporar tudo e levar em fôrma untada ao forno pré-aquecido até passar pelo teste do palito.

14. Bolo farofa de banana
Ingredientes
Creme: 1 lata de leite condensado
1 colher de sopa de farinha de trigo
1 lata de leite (use a medida do leite condensado)
1 colher de sopa de manteiga ( não uso pra diminuir o colesterol)
1 colher de sobremesa de baunilha
1 lata de creme de leite (acrescentar só depois que o creme estiver frio)
Você começa pelo creme pra ele ir esfriando
Farofa: 3 xicaras de chá de farinha de trigo
1 colher de sopa de fermento em pó
1 ovo
1 e 1/2 xícara de chá de açúcar
1 colher de sopa de manteiga
Misture com as mãos até ficar com uma farofa bem soltinha.
4 bananas nanicas
MDF : Leve ao fogo todos os ingredientes do creme até engrossar. O creme de leite será acrescentado por último, depois que o creme estiver ligeiramente morno.
Montagem: Em uma assadeira untada e enfarinhada coloque metade da farofa. Cubra com banana nanica cortada ao comprido, uma pertinho da outra. Unte todas as bananas com o creme (coloco bastaaaante creme). Cubra tudo com a outra metade da farofa e polvilhe canela em pó. Leve ao forno pré aquecido 200 graus por 30 minutos. O bolo estará pronto quando vc bater sobre ele com uma colher e ele estiver um pouquinho crocante! Não deixar mt tempo no forno para não ressecar a parte de baixo da farofa.

15. Torta búlgara
Derreti 300g de chocolate em pó (dos frades) numa panela com 200g de manteiga (com sal mesmo); quando estava homogêneo, tirei do fogo (se você não fizer isso a torta carameliza, endurece) e juntei 6 gemas peneiradas e 250g de açúcar; misturei bem e levei de volta ao fogo em banho-maria por uns 5 minutos até ficar uma coisa linda. Nessa hora é punk para mexer, a massa vira uma espécie de lama super densa. Outro detalhe é que mesmo usando uma quantidade menor de manteiga do que consta em todas as receitas que li, nessa hora a massa ainda soltou um pouco de óleo que removi toda da superfície com a ajudar de uma colher.
Pronto! Foi deitar numa forma apenas untada e levar ao forno médio pré-aquecido, em banho-maria, por algo em torno de 30 a 40 minutos, a depender do poder do teu forno. Desenforme morno.

16. Bolo de Tapioca
Na véspera ou pelo menos 8 horas antes de preparar o seu rico bolinho, coloque 2 xícaras de uma boa farinha de tapioca de molho numa mistura de 500ml de leite . No dia seguinte você constatará que a tapioca dobrou de tamanho, absorveu todo o líquido e está bem macia. Se ela estiver ressecada, junte mais um pouco de leite.
Na batedeira, 2 colheres de sopa gigantes de manteiga com 1 1/2 xícara de açúcar até ficar bem homogêno; junte 4 gemas peneiradas (você não vai usar as claras); bate, até ficar bem lisinho e sem cheiro de ovo; agora junte aos poucos a tapioca macia, vá incorporando 2 xícaras de farinha de trigo, 1 colher de sopa de fermento em pó, e 100g de coco ralado sem açúcar . É provável que você precise acrescentar a essa altura um pouco de leite, caso a massa se apresente um pouco seca, mas não é para virar um creme, pois a massa do bolo de tapioca é encorpada.
Bom, agora é só deitar a massa em forma untada e enfarinhada, e levar ao forno pré-aquecido por coisa de 20 minutos. Ele vai dourar por cima, e daí você espeta um trem para ver se tá bom.
A cobertura você faz cozinhando uma lata de leite condensado na pressão por 30 minutos, depois que começar a apitar. Espera esfriar e abre. Ele fica bem denso e com uma cor de caramelo. Tudo isso para você espalhar sobre o bolo e depois... chuva branca de coco ralado.

17. Bolo de fubá flocão
No liquidificador, 2 ovos, 1 copo de leite, 1 copo de açúcar, 1 pitada de sal, 1/2 copo de óleo (usei canola), 2 colheres de sopa de parmesão ralado, 2 colheres de farinha de trigo, 1 copo de fubá flocão (daquele grosso), e 1 colher de sopa rasa de fermento em pó.
Bate tudo no liquidificador (acendeu o forno antes de tudo, né?) e derrama numa forma redonda com furo no meio, untada e enfarinhada com o mesmo flocão, dá umas palmadinhas no fundo da fôrma para liberar o ar e minimizar as possibilidades de solar e assa no forno médio pré-aquecido por uns 20 minutos.

18. Pavê tipo "Charge"
Ingredientes:
1 xícara de refrigerante guaraná - retirar o gás
1 pacote de bolacha maisena ou de leite
1 caixa de pudim sabor caramelo
1 colher de sopa de margarina
Meia xícara de amendoim torrado e sem pele
1 caixa de creme de leite
1 tablete de chocolate meio amargo
Caramelo
Ir na panela a manteiga, o pó do pudim e o leite condensado, misturar em fogo brando até soltar o fundo da panela. Qdo tiver morno acrescentar metade o creme de leite, e o amendoim. Reservar.
Creme de chocolate
Derreter metade o chocolate e misturar com a outra metade do creme de leite, formando um creme. Reservar.
Montagem
Em uma tigela colocar uma camada de bolacha molhada no guaraná, depois uma camada de caramelo. Ir alternado ate acabar a bolacha e o caramelo. Depois coloque o creme de chocolate, por ultimo rale o restante do chocolate.

19. Pudim de Leite Zanelati
Bata no liquidificador por 2 minutos (isso é que o deixa cremosão): 2 latas de leite condensado, 2 de leite, 1 caixinha de creme de leite, 3 ovos e 1 colher (sopa) de maizena.
* como é muito líquido, é preciso bater em 2 etapas.
Coloque na fôrma caramelada e leve ao forno em banho-maria por 45 minutos ou até que passe pelo teste do palito. Espere esfriar e desenforme lindamente.
2 xícaras de açúcar, em fogo baixo, mexendo até ficar douradinho. Em seguida, 1/2 xícara de água bem quente (e cuidado porque nessa hora espirra!), mexe e deixa lá, descansando um pouco enquanto você bate o pudim. Ela também diz que se nessa hora ainda tiverem alguns gruminhos de açucar não é pra esquentar, porque quando a calda estiver dando aquela descansadinha os gruminhos vão se dissolver.

Meu coração bate um pouco mais aliviado por ter minhas amadas receitas salvas por aqui :-)