segunda-feira, 30 de abril de 2012

Comida mineira

Almoço na casa da tia, delícias em sequência que tornaram difícil a escolha do prato... acabamos comendo um pouquinho de cada coisa e saímos de lá compreendendo a razão de comida mineira ser sinônimo de fartura...
no sentido horário: frango de panela, arroz feijão vermelho, chuchu com bacalhau, batata palito feita em casa (não comia há muito tempo) e carne moída; na foto central se vê ainda o angu d-e-l-i-c-i-o-s-o
De sobremesa um pudim de leite amarelinho, feito com ovos da roça, e doce de leite uruguaio. E um sono depois, para restaurar as forças depois desse banquete...

domingo, 29 de abril de 2012

Raclette e fondue

Sábado à noite em Juiz de Fora, o frio do outono já começava a aparecer. Uma tia que tem sempre uma mesa posta tão linda para nos receber mais uma vez abriu as portas e fez uma deliciosa raclette, seguida por fondue de chocolate.

Fondue, Raclette e Pão de Ervas com azeite e espumante
Fiz mais uma vez a receita do pão de ervas.
A refeição foi uma delícia, só superada pela alegria que é estar juntos em família.

domingo, 22 de abril de 2012

Frango Xadrez

Domingo chuvoso, uma preguiça vergonhosa de sair de casa associada à percepção de que eu preciso melhorar meus hábitos alimentares. A saída era preparar um jantar aconchegante, saudável e saboroso em poucos minutos, pois a fome era muita e a tentação de saciá-la com alimentos mais 'imediatos' era grande.
Lembrei-me imediatamente de uma valiosa dica da minha amiga Michelle: o Molho Xadrez Uncle Ben's, que já estava estrategicamente disponível na despensa. Eu já tinha feito arroz branco fresco mais cedo e um franguinho xadrez casaria perfeitamente.

Resolvi fazer uma combinação entre a receita sugerida no rótulo e as instruções de receitas bem avaliadas na internet e preparei desse jeito: piquei meio pimentão verde em cubinhos de 0,5 cm, meia cebola média mais ou menos do mesmo tamanho e espremi um dente de alho. Em uma frigideira de T-fal, aqueci o óleo (pouco, coisa de 1 colher de chá), refoguei a cebola até que murchasse e em seguida acrescentei o alho. Quando pareciam cozidos acrescentei o pimentão verde e deixei que cozinhasse também, pingando um pouquinho de água. Juntei 4 colheres (sopa) do Molho Xadrez, esperei ferver e retirei da panela. Coloquei então na mesma frigideira (vazia agora) o frango (cerca de meio peito em cubinhos), que eu havia temperado com sal e pimenta-do-reino moída na hora. Deixei dourar e ao final pinguei um pouquinho d'água para que ficasse bem macio. Quando estava no ponto desejado, juntei os legumes com o molho e deixei ferver brevemente só para aquecer.

Só lembrei de tirar a foto quando já tinha comido metade do prato (primeiro dia de dieta é triste...). A refeição atendeu a tudo o que eu queria: aqueceu o estômago e a alma, foi nutritiva, saudável e saborosa. O valor calórico do Molho Xadrez também é bastante razoável para quem conta calorias: 12 kcal/colher de sopa e, vencendo a tentação de juntar os tradicionais amendoins inteiros ao final do processo, acabei comendo um Frango Xadrez delicioso e magrinho :-)

sábado, 21 de abril de 2012

Minha amiga Leila me ligou na quarta-feira de cinzas pela manhã, aconselhando que eu ligasse a TV e visse a receita que estava sendo preparada no Mais Você. Vi e logo veio a inquietude de reproduzir o bolo, cuja receita é a seguinte:

Bolo de Chocolate Recheado de Forno
ingredientes
Recheio
 1 lata de leite condensado
 ½ litro de leite
 2 gemas
 2 ½ colher (sopa) de amido de milho
 150 g de chocolate meio amargo picado
 1 lata de creme de leite

Massa
 100 g de margarina
 2 gemas
 1 ½ xícara (chá) de açúcar
 6 colheres (sopa) de chocolate em pó
 2 xícaras (chá) de farinha de trigo
 1 xícara (chá) de leite
 1 colher (sopa) de fermento em pó
 2 claras batidas em neve

Cobertura
 300 g de chocolate meio amargo picado

modo de preparo
Recheio
1°- Coloque numa panela 1 lata de leite condensado, ½ litro de leite, 2 gemas e 2 ½ colher (sopa) de amido de milho e leve ao fogo médio até engrossar. Desligue o fogo, adicione 150 g de chocolate meio amargo picado e misture até derreter o chocolate. Deixe esfriar e acrescente 1 lata de creme de leite.
Cobertura
2º- Retire 2 xícaras (chá) de creme de chocolate (feito acima), coloque numa panela e adicione 300 g de chocolate meio amargo picado. Leve ao fogo médio mexendo sempre até o creme deslizar da colher (+/- 6 minutos). Reserve.
3°- Coloque o restante do creme de chocolate num saco plástico e reserve.
Massa
4°- Numa batedeira coloque 100 g de margarina, 2 gemas e 1 ½ xícara (chá) de açúcar e bata bem até formar um creme claro (+/-10 minutos). Desligue a batedeira e adicione 6 colheres (sopa) de chocolate em pó, 2 xícaras (chá) de farinha de trigo, 1 xícara (chá) de leite e 1 colher (sopa) de fermento em pó e bata até formar uma mistura homogênea (+/- 5 minutos). Desligue a batedeira e acrescente 2 claras batidas em neve e misture delicadamente.
5°- Coloque numa assadeira untada e enfarinhada metade da massa de chocolate (feita acima). Faca um pequeno furo no saco e espalhe o recheio de chocolate levemente sobre a massa e cubra com o restante da massa de chocolate. Leve ao forno médio pré-aquecido a 180°C por 1 h. Retire do forno e deixe esfriar.
Montagem
6°- Desenforme o bolo num prato de servir, cubra com a cobertura de chocolate (reservado acima), decore com granulado de chocolate e sirva em seguida.
O que fiz diferente: eu não assei o bolo já com recheio, pois não tenho (e nem sei usar) saco de confeiteiro. Assei normalmente, retirei e depois de frio cortei e recheei.
Levei de presente para a Leila, mas achei que o recheio ficou mole para ser usado como fiz (da próxima vez deixarei engrossar mais...)

quinta-feira, 19 de abril de 2012

Aniversário de amigos

Dois amigos queridos do trabalho comemoraram aniversário na semana que passou e resolvi levar um pão recheado e um bolo para comemorar.
Algumas batatas baroa 'sorriam' para mim na geladeira e resolvi adaptar a excelente receita de pão de batata tradicional do livro da Clecia Casagrande. Fiz da seguinte forma: cozinhei e espremi 500g de batata baroa. Em seguida juntei 2 ovos, 30g de açúcar (usei 2 colheres e meia de sopa), 20g de sal (usei 1 colher e meia de sopa), 30 ml de óleo, 30g de manteiga (usei uma colher de sopa), 30g de fermento biológico fresco (usei um envelope de 10g do seco). Quando estava tudo bem misturado, fui juntando farinha de trigo até dar o ponto de sovar. Sovei e deixei crescer por 1h30min. Abri então a massa e fiz 2 pães recheados: um com um refogado de linguiça defumada picada com cebola e pimenta calabresa (deitei este recheio em uma "caminha" de mussarela fatiada) e outro, para um amigo muito querido que estava em temporária abstinência de carne, apenas com mussarela e orégano. Enrolei como rocambole e deixei na geladeira até a hora de assar (algumas horas depois). Os pães cresceram bem e pincelei apenas com azeite para corar. Achei que ficaram boa textura, mas algo salgados (colocaria apenas 1 colher de sopa cheia de sal na massa da próxima vez).

Para o bolo usei uma receita conhecida daqui, transcrita seguir:
Base para tortas recheadas
Ingredientes
- 4 ovos
- 1 e 1/2 xícara (chá) rasa de açúcar
- 1 colher (chá) de essência de baunilha
- suco de 1/2 limão (não usei, pois achei que não combinaria com o amendoim do recheio)
- 1 pitada de sal
- 1 xícara (chá) cheia de farinha de trigo
- 1 xícara (chá) rasa de maizena
- 1 colher (sopa) de fermento
- 4 colheres (sopa) de óleo vegetal
Modo de Preparo
Separe as gemas das claras. Bata as claras em neve (deixa ficar bem dura). A seguir, adicione 1/2 xícara (chá) de açúcar e reserve na geladeira. Bata as gemas com 4 colheres (sopa) de água fervente e acrescente aos poucos 1 xícara (chá) de açúcar, a essência de baunilha, o suco de limão, o sal até obter uma massa fofa e clara. Coloque a massa sobre as claras em neve, peneire sobre ela a farinha misturada com a maizena e, por último, o fermento. Incorpore delicadamente todos os ingredientes acrescentando o óleo. Disponha a massa em uma forma redonda (26cm) de aro removível, bem untada ou forrada com papel manteiga. Deixe assar por 30-35 minutos na parte inferior do forno pré-aquecido. Temperatura: (190ºC); (forno à gás), (175ºC) (forno elétrico).

Recheei e cobri com uma mistura de doce de leite, creme de leite e amendoim moído. O bolo ficou saboroso, mas é quase um pão de ló e achei que pede uma calda ou, alternativamente, que seja servido com sorvete.
As fotos estão num celular que se recusa a funcionar - se ele voltar a dar sinal de vida elas serão postadas...

Rainhas do Lar

Comecei a descobrir o mundo maravilhoso das receitas na internet pelo site cybercook. A atividade se 'infiltrando' na minha vida insidiosamente mas, quando descobri os blogs de culinária, aí a coisa saiu de controle de vez. Existe um número imenso de blogs excelentes para se visitar, mas dois dos meus favoritos são o Technicolor Kitchen, da Patricia Scarpin e o Rainhas do Lar, da Katita e Faby. Porém, no ano passado, o Rainhas do Lar encerrou suas atividades e anunciou que ficaria no ar por um período limitado para que as pessoas buscassem suas receitas. Eu já havia feito diversas receitas de lá e não me lembro de nenhuma delas ter dado errado. Com medo de que o site realmente fosse encerrado, resolvi copiar minhas receitas favoritas para publicar aqui. Todas foram testadas e aprovadas:

1. Sopa rústica de mandiocaNa panela de pressão coloque pedaços de linguiça bem finos. Deixe até que começasse a fritar e "pegar" na panela. Juntei um pouquinho de azeite, uma cebola e meia picada, uns 3 dentes de alho amassados, 2 folhas de louro e deixe tudo fritando até dourar. Cobri com água quente, temperei com sal e pimenta e acrescente a mandioca cozida e deixei tudo cozinhando (sem pressão) até virar um caldo grosso, mexendo vez ou outra para não grudar no fundo da panela. Parte da mandioca derrete e outra parte fica em pedacinhos macios, do jeito que eu queria.
Já no prato (ou aqui no caso, uma caneca para sopa) junte um fio de azeite, pimenta do reino moída na hora, cebolinha picada e servi fumegante, pra espantar o frio.

2. Escondidinho de mandioquinha com linguiça
Leve a linguiça toscana já sem a pele para a panela e deixe que ela reduza, frite e comece a dourar. Então, acrescente cebola em tirinhas, pimenta do reino moída na hora e sal.
À parte cozinhe a mandioquinha, passei pelo espremedor e fiz um purê com leite, manteiga e sal. Vale dizer que a consistência do purê vai do gosto do freguês mas é bom que ele esteja mais para firme. A textura também vai de gosto e para obter um purê lisinho e fofo pode-se usar o processador, sem problemas.
Depois do purê pronto, ajeite no pirex assim - uma camada do purê de mandioquinha, o recheio de linguiça e mais purê. Para finalizar um coalho ou parmesão são perfeitos. Forno quente até gratinar.

3. Bacalhau espiritual

2 fatias de pão de forma sem borda
2 copos de leite
2 cebolas (ou até mais para quem gosta) picadas, de preferência no processador
Alho
2 cenouras grandes picadas (processador)
2 "belas e altas" postas de bacalhau cozidas e picadas (processador)
Azeite
Sal e pimenta
Molho bechamel
Purê de batata
2 gemas
Coloque o pão de molho em leite morno. Aqueça uma panela e vai colocando azeite... cebola... as cenouras... o bacalhau... o pão (já espremido)... sal... pimenta... Deixe cozinhar por uns 20 minutos em fogo baixo. Depois misture o purê de batatas, as gemas, metade do molho bechamel e coloque tudo numa travessa. Cubra com o restante do molho bechamel, acrescente queijo ralado e leve ao forno para gratinar.

4. Estrogonofe de camarão I
Limpe bem 1 kg de camarões médios, que se transforma em 500g depois disto e deixe marinando de véspera numa mistura de 1/2 cebola ralada, 2 dentes de alho picado, 4 folhas de louro rasgadas, suco de 1/2 banda de limão, 1 colher de chá de sal, pimenta branca, e 1 punhado de tomilho seco; misture os camarões ali, coloque numa vasilha funda do tamanho exato de comportar os camarões confortavelmente, e some vinho branco. Coloque o camarão marinado na frigideira e leve ao fogo para cozinhar um pouco e reduzir o caldo. Reduziu, some cebola picadinha e manteiga de garrafa; nessa bendita hora entra uma concha de conhaque para dar uma flambada. Ao final, creme de leite sem soro. Finalizar com salsinha picada.

5. Estrogonofe de camarão II
Separe camarão limpo, coisa de 500g. Salgue na hora e coloque a frigideira inox no fogo baixo com manteiga e alho picado (pode ser cebola também) para dourar. Depois junte o camarão salgado na hora e refogue ali até ficarem rosados; deite 1/2 copo de cachaça da boa nessa hora e deixe evaporar o alcool, depois junte 2 colheres de sopa de catchup e 3 de mostarda, bem cheias. Por último, com o estrogonofe já pronto, junte o equivalente a uma caixinha de creme de leite, desligue o fogo imediatamente e sirva pelando com arroz fresquinho!

6. Cubos de frango com molho de abacaxi e castanha
Corte 2 peitos de frango, primeiro em fatias grossas e depois em cubos; tempere com sal, pimenta branca, 1 colher de chá bem cheia de curry, pasta d'alho e gotas de limão, e reserve por 2 horas na geladeira.
Na panela de ferro (sempre em fogo baixo), refogue pétalas de cebola em óleo de gergelim (mas podia ser qualquer outro) e juntei os cubos de frango. Uma vez bem refogadinho, some 1/2 copo de cachaça da boa (mas poderia ter sido vodka, vinho branco, sakê), deixe evaporar o alcool e complete com umas 3 xícaras de caldo de galinha caseiro (com alho poró). Daí eu deixe reduzir um pouco, coisa de 1/3, que foi o tempo do frango ficar macio; só então eu some 4 rodelas de abacaxi cortados em cubos grossos, e coisa de 1/2 xícara de leite de coco. Envolva bem, e adicione por último um punhado de castanhas torradas e outro de cheiro verde. Apague o fogo e abafe um pouquinho só antes de servir. Para acompanhar, arroz pilaf.

7. Frango com manga e castanha de caju
Corte uns 800 grs de peito de frango em cubos e frite-os em manteiga com uma cebola picadinha até dourar. Bota sal e vai peneirando 2 colheres de sopa de farinha de trigo e mexendo. Nessa altura você já dissolveu 2 tabletinhos de caldo de galinha em 2 xícaras de água fervendo.
Junte esse caldinho lá no franguinho e aproveita e coloca também 1/2 xícara de castanhas de cajú picadinhas, coloque a castanha no frango, depois 1 colher de gengibre ralado e outra colher de sopa de polpa de tomate ou, se preferir, coloral (é só pra dar uma corzinha). Espere ferver, abaixa o fogo e cozinhe uns 20 minutinhos. Se for secando vá acrescentando um bocadinho de água até completar o cozimento do frango.
Não é para deixar o frango totalmente seco. No final do cozimento é importante que ele ainda esteja molhadinho, daí você desliga, junta coentro picado e 2 mangas tommy ou haden descascadas of course e cortadas em cubos. O próprio calor do frango já vai dar uma certa amolecida na manga.

8. Farofa de arroz 7 grãos
Para fazer, cozinhe o arroz 7 grãos só com sal, escorra e deixe reservado. Lembrando que esse arroz vai sempre ficar al dente. Depois, numa panela com um pouquinho de manteiga, frite linguiça defumada picada em cubinhos. Depois que estiver fritinha acrescente cebola, alho e temperos de sua preferência (ervinhas, pimenta calabresa, etc). Depois que tudo estiver douradinho, quebre na panela um ovo e deixe ele começar a fritar sem mexer - quando começar a ficar com a clara branca aí sim pode mexer e incorporar tudo. Neste momento, é só acrescentar um bom punhado de castanhas do pará raladas e, por último, farofa pronta Yoki. Mexeu, misturou, junte lá o arroz já cozido e escorrido e voilà!
Pode colocar castanha de caju, pode trocar a farofa pronta por farinha de mandioca simplesmente, e pode até utilizar linguiça fresca, que não deve ficar tão saborosa, é verdade, mas que pode quebrar um galho se a vontade for muita e a defumada não estiver à mão.
Amendoim salgado de microondas: coloca uma pacote de amendoim (Yoki é o melhor, todos do mesmo tamanho, pra vc não morder um amendoim queimado bem no meio do assunto) em um refratário e leva na potência alta por cinco minutos. Tira do forno, joga por cima uma salmora feita com duas colheres (sobremesa) rasas de sal e três colheres (sobremesa) de água. Mexe bem e mais cinco minutos na potência alta. quando esfriar prove e se não estiver crocante pode por no forno mais um minutinho. O tempo vai depender do forno de cada uma, tem que experimentar.

9. Linguiças no mel
500 gramas de lingüiça Sadia cozida e defumada. Eu uso a Sadia, mas pode ser outra desde que seja cozida e defumada. Geralmente ela vem em pacotes a vácuo, e com 4 unidades.
- Champagne, pode ser qualquer uma, eu uso a Cidra Cerezer de Maçã que é mais barata.
- Pimenta calabresa seca. Ela é usada no meio do cozimento e dará o toque apimentado ao petisco.
- Mel. O mel é usado na parte final do cozimento e serve pra quebrar um pouco o ardor da pimenta e engrossar o caldo da lingüiça.
Corte a lingüiça em fatias... ...coloque na panela e cubra com o champagne...
 ...leve ao fogo baixo com a panela tampada até começar a ferver, tire a tampa e deixe cozinhar.
Quando o champagne começar a evaporar e o caldo começar a ficar grosso é hora de colocar a pimenta, vai do gosto de cada um, eu costumo colocar pra esta quantidade de lingüiça meia colherinha de café, mexa bem e deixe lá cozinhando mais um pouco.
Quando secar quase todo o caldo, a lingüiça vai ficar parecendo caramelada, com uma cor bem caramelo mesmo, aí, desligue o fogo e coloque o mel, mais ou menos umas 4 ou 5 colheres de sopa, vai no olho, não pode ficar boiando no mel, é só pra envolver a lingüiça. Mexa misturando bem e está pronto.

10. Pãozinho de queijo e tapioca
Hidrate 4 xícaras de farinha de tapioca em 2 xícaras de leite morno. Deixe hidratar por uns 40 minutos e, se necessário, coloque mais um tantinho de leite, apenas o suficiente para manter a mistura úmida. O resultado final não deve ser nada muito molhado, ok? Depois de hidratada, junta à tapioca 1 ovo, 2 xícaras de queijo ralado (aqui cabe quase qualquer queijo - eu usei meia cura e parmesão, mas dá pra usar os suiços e até um pedacinho de algum mais forte, como o roquefort ou gorgonzola - com moderação, claro), tempere com sal (não se esqueça que, a depender do queijo, há que se tomar cuidado com o sal - parmesão por exemplo já é um tantinho salgado) e acrescente 1/2 xícara de polvilho azedo. Bom, eu usei 1/2 xícara, mas fui colocando aos poucos, até chegar na consistência que achei perfeita - não era pra ser uma massa firme, que pudesse ser moldada com a mão, mas também não deveria ser nada muito molenga, pois seria necessário fazer as bolinhas para assar.
Para fazer os pãezinhos eu usei a colher de sorvete, assim, todos ficam com um tamanho parecido e é mais fácil de você dispôr a massa na assadeira. Uma dica: vocês podem ver que eu usei papel manteiga na assadeira, certo? Não sei porque eu me passei e não untei - resultado: grudou no papel. Pode-se usar Silpat. Depois de montar os pãezinhos, outro truque: leve a forma ao freezer por uns 15 minutinhos para que os pãezinhos fiquem firme e a massa não espalhe demais. Para assar, nada de forno ultra quente! Forno médio pré-aquecido uns 10 minutos e aí é o tempo deles ficarem douradinhos - no meu caso foram 50 minutos em forno médio/baixo.

11. Bolo de fubá mimoso
Bata no seu liquidificador, comadre (sim porque você não é obrigada), 1 xícara de leite, 3 ovos, 1 xícara de fubá de milho, 1/2 xícara de óleo, 1 xícara de farinha de trigo, 2 xícaras de açúcar e bata. Depois some 1 colher de sopa de fermento e bata mais um pouquinho. Por fim, misture 1 colher de sopa de erva doce com uma colher (pode até ser no copo do liquidificador mesmo).
Deite a massa numa forma untada com manteiga e polvilhada com açúcar e leve ao forno pré-aquecido por uns... 30 minutos?
Uma gracinha opcional: corte cubinhos bem pequenininhos de goiabada, polvilhe com farinha de trigo (para não afundar) e jogue sobre a massa antes de levá-la ao forno. Ou então, derreta a goiabada em banho-maria com um bocadinho de água e cubra o bolo depois de assado.

12. Bolo de fubá cremoso
No liquidificador vão primeiro os secos - 1 xícara e meia de fubá, 2 xícaras de açucar e 2 colheres de sopa de farinha de trigo (cheias). Na sequência, 2 colheres de margarina, 4 xícaras de leite, 3 ovos e 1 pitada de sal. Depos de bater bem é só acrescentar 1 pacote de queijo ralado (100gr), raspas de limão e 1 colher sopa de fermento em pó, misturar bem, colocar em fôrma untada e enfarinhada e levar para assar em forno pré-aquecido.
O que precisa ser dito sobre esse bolo...
. o recheio cremoso vai ficar bem no meio do bolo e ele deve ficar mais molinho, lembrando mesmo um creme;
. não se assuste com a consistência do bolo quando você bater no liquidificador - ele fica bem líquido mesmo, feito um pudim, e você pode até pensar que aquilo não vai virar bolo nunca, mas vai, believe me;
. esse não é um bolo que cresce horrores... ele fica macio, mas não é daqueles tipos de bolo fofíssimos, que levam clara em neve, óleo e talecousa;
. o pulo do gato dessa receita, segundo a minha tia, é o tamanho da fôrma - o ideal é usar uma forma média (eu usei uma retangular nr. 2) e alta, porque se a fôrma for muito grande e baixa o creme de queijo não se separa legal;
. eu gosto desse bolo assim, cortado em quadradinhos, mas se você quiser usar uma fôrma redonda, tudo bem... só não esqueça que ela não deve ser muito grande;
. o bolo estará pronto quando estiver dourado, mas pode ser que no teste do palito ainda não saia completamente limpo - isso acontece por causa do creminho do meio.

13. Bolo de fubá caipira
Bater 5 gemas com 2 xícaras de açucar e 1 xícara de manteiga, juntar 2 xícaras de farinha de trigo, 2 xícaras de fubá e um vidro de leite de coco (200ml). Bater bem, acrescentar 1 colher de fermento em pó, noz moscada ralada (ou erva-doce, ou raspas de limão) e as 5 claras batidas em neve. Incorporar tudo e levar em fôrma untada ao forno pré-aquecido até passar pelo teste do palito.

14. Bolo farofa de banana
Ingredientes
Creme: 1 lata de leite condensado
1 colher de sopa de farinha de trigo
1 lata de leite (use a medida do leite condensado)
1 colher de sopa de manteiga ( não uso pra diminuir o colesterol)
1 colher de sobremesa de baunilha
1 lata de creme de leite (acrescentar só depois que o creme estiver frio)
Você começa pelo creme pra ele ir esfriando
Farofa: 3 xicaras de chá de farinha de trigo
1 colher de sopa de fermento em pó
1 ovo
1 e 1/2 xícara de chá de açúcar
1 colher de sopa de manteiga
Misture com as mãos até ficar com uma farofa bem soltinha.
4 bananas nanicas
MDF : Leve ao fogo todos os ingredientes do creme até engrossar. O creme de leite será acrescentado por último, depois que o creme estiver ligeiramente morno.
Montagem: Em uma assadeira untada e enfarinhada coloque metade da farofa. Cubra com banana nanica cortada ao comprido, uma pertinho da outra. Unte todas as bananas com o creme (coloco bastaaaante creme). Cubra tudo com a outra metade da farofa e polvilhe canela em pó. Leve ao forno pré aquecido 200 graus por 30 minutos. O bolo estará pronto quando vc bater sobre ele com uma colher e ele estiver um pouquinho crocante! Não deixar mt tempo no forno para não ressecar a parte de baixo da farofa.

15. Torta búlgara
Derreti 300g de chocolate em pó (dos frades) numa panela com 200g de manteiga (com sal mesmo); quando estava homogêneo, tirei do fogo (se você não fizer isso a torta carameliza, endurece) e juntei 6 gemas peneiradas e 250g de açúcar; misturei bem e levei de volta ao fogo em banho-maria por uns 5 minutos até ficar uma coisa linda. Nessa hora é punk para mexer, a massa vira uma espécie de lama super densa. Outro detalhe é que mesmo usando uma quantidade menor de manteiga do que consta em todas as receitas que li, nessa hora a massa ainda soltou um pouco de óleo que removi toda da superfície com a ajudar de uma colher.
Pronto! Foi deitar numa forma apenas untada e levar ao forno médio pré-aquecido, em banho-maria, por algo em torno de 30 a 40 minutos, a depender do poder do teu forno. Desenforme morno.

16. Bolo de Tapioca
Na véspera ou pelo menos 8 horas antes de preparar o seu rico bolinho, coloque 2 xícaras de uma boa farinha de tapioca de molho numa mistura de 500ml de leite . No dia seguinte você constatará que a tapioca dobrou de tamanho, absorveu todo o líquido e está bem macia. Se ela estiver ressecada, junte mais um pouco de leite.
Na batedeira, 2 colheres de sopa gigantes de manteiga com 1 1/2 xícara de açúcar até ficar bem homogêno; junte 4 gemas peneiradas (você não vai usar as claras); bate, até ficar bem lisinho e sem cheiro de ovo; agora junte aos poucos a tapioca macia, vá incorporando 2 xícaras de farinha de trigo, 1 colher de sopa de fermento em pó, e 100g de coco ralado sem açúcar . É provável que você precise acrescentar a essa altura um pouco de leite, caso a massa se apresente um pouco seca, mas não é para virar um creme, pois a massa do bolo de tapioca é encorpada.
Bom, agora é só deitar a massa em forma untada e enfarinhada, e levar ao forno pré-aquecido por coisa de 20 minutos. Ele vai dourar por cima, e daí você espeta um trem para ver se tá bom.
A cobertura você faz cozinhando uma lata de leite condensado na pressão por 30 minutos, depois que começar a apitar. Espera esfriar e abre. Ele fica bem denso e com uma cor de caramelo. Tudo isso para você espalhar sobre o bolo e depois... chuva branca de coco ralado.

17. Bolo de fubá flocão
No liquidificador, 2 ovos, 1 copo de leite, 1 copo de açúcar, 1 pitada de sal, 1/2 copo de óleo (usei canola), 2 colheres de sopa de parmesão ralado, 2 colheres de farinha de trigo, 1 copo de fubá flocão (daquele grosso), e 1 colher de sopa rasa de fermento em pó.
Bate tudo no liquidificador (acendeu o forno antes de tudo, né?) e derrama numa forma redonda com furo no meio, untada e enfarinhada com o mesmo flocão, dá umas palmadinhas no fundo da fôrma para liberar o ar e minimizar as possibilidades de solar e assa no forno médio pré-aquecido por uns 20 minutos.

18. Pavê tipo "Charge"
Ingredientes:
1 xícara de refrigerante guaraná - retirar o gás
1 pacote de bolacha maisena ou de leite
1 caixa de pudim sabor caramelo
1 colher de sopa de margarina
Meia xícara de amendoim torrado e sem pele
1 caixa de creme de leite
1 tablete de chocolate meio amargo
Caramelo
Ir na panela a manteiga, o pó do pudim e o leite condensado, misturar em fogo brando até soltar o fundo da panela. Qdo tiver morno acrescentar metade o creme de leite, e o amendoim. Reservar.
Creme de chocolate
Derreter metade o chocolate e misturar com a outra metade do creme de leite, formando um creme. Reservar.
Montagem
Em uma tigela colocar uma camada de bolacha molhada no guaraná, depois uma camada de caramelo. Ir alternado ate acabar a bolacha e o caramelo. Depois coloque o creme de chocolate, por ultimo rale o restante do chocolate.

19. Pudim de Leite Zanelati
Bata no liquidificador por 2 minutos (isso é que o deixa cremosão): 2 latas de leite condensado, 2 de leite, 1 caixinha de creme de leite, 3 ovos e 1 colher (sopa) de maizena.
* como é muito líquido, é preciso bater em 2 etapas.
Coloque na fôrma caramelada e leve ao forno em banho-maria por 45 minutos ou até que passe pelo teste do palito. Espere esfriar e desenforme lindamente.
2 xícaras de açúcar, em fogo baixo, mexendo até ficar douradinho. Em seguida, 1/2 xícara de água bem quente (e cuidado porque nessa hora espirra!), mexe e deixa lá, descansando um pouco enquanto você bate o pudim. Ela também diz que se nessa hora ainda tiverem alguns gruminhos de açucar não é pra esquentar, porque quando a calda estiver dando aquela descansadinha os gruminhos vão se dissolver.

Meu coração bate um pouco mais aliviado por ter minhas amadas receitas salvas por aqui :-)

sábado, 14 de abril de 2012

Três receitas

Já fiz essas três  receitas diversas vezes e são sempre muito bem recebidas:

1. Torta Xodó da Bahia
Massa : 4 ovos, 2 xícaras de açúcar, 2 xícaras de farinha de trigo, 1 copo de suco de laranja, 1 colher (sopa) de fermento em pó
Cobertura: 1 lata de leite condensado, 1 lata de leite de vaca, 1 vidro (200 ml) de leite de coco
150 g de coco ralado para cobrir (opcional)

Modo de preparo:
Bata as gemas com o açúcar até ficar bem claro. Depois misture alternadamente o suco de laranja (à temperatura ambiente) e a farinha de trigo. Por fim misture delicadamente o fermento e as claras em neve. Leve ao forno médio pré-aquecido por aproximadamente 35 minutos.
Prepare a cobertura, misturando todos os ingredientes líquidos.
Depois de assado, fure o bolo ainda quente com um garfo e regue com a cobertura. Se quiser cubra com coco ralado.

2. Bolo de banana da Ana Paula
No liquidificador, bata 4 gemas com 4 bananas grandes (uso banana prata) e 3/4 xícara de óleo.
Numa vasilha junte a essa mistura 2 xícaras de farinha de rosca e 2 xícaras de açúcar.
Depois, juntar essa mistura às 4 claras em neve e por fim acrescentar 1 colher de fermento em pó. Colocar em forma untada e enfarinhada (use farinha de rosca ou, se gostar, açúcar com canela) e levar ao forno até passar no teste do palito.

3. Brownies Legítimos da Califórnia (retirada daqui):
Ingredientes
- 6 colheres (sopa) bem cheias de margarina ( sem sal)
- 3/4 xícara (chá) Nescau
- 1/2 xícara (chá) chocolate em pó
- 1 1/4 xícara ( chá) farinha
- 2 xícara (chá) açúcar
- 4 ovos
- 1 colheres (chá) sal
- 2 colheres (chá) extrato de baunilha
- 1 xícara (chá) de chocolate chips (ou chocolate meio-amargo, picado
em cubinhos) ou 1 xícara (chá) de nozes picadas.

Coloque tudo numa vasilha e misture bem, até formar um creme uniforme. Despeje numa assadeira anti-aderente e leve ao forno médio por 40 minutos. Experimente com um palito, em caso de duvidas. O palito deve sair levemente úmido. Se cortar enquanto ainda quente, vai parecer que está cru por dentro, devido a cor marrom escura dentro (brownie) e a casquinha marrom clara por fora, mas não está.  Corte, em quadrados ainda quente e sirva com uma bola de sorvete de creme, ou congele num saquinho de freezer. Para descongelar, coloque um quadradinho num prato de sobremesa e aqueça no microondas, potência alta, por 45 segundos. Sirva com sorvete de creme, ou sozinho, (se tiver feito com chocolate chips ou chocolate picado, os pedacinhos estarão cremosos ao aquecer no microondas). Pode-se também servi-los a temperatura ambiente, como um bolo de chocolate mais encorpado. 

WD 40

Um pequeno mas dramático incidente ontem com um copo vagabundo vazando mate e meu amado iPhone foi parando progressivamente de funcionar. Angustiada, fui procurar uma solução para salvar o revolucionário aparelhinho e deparei-me com algo que me era muito familiar (meu pai tecia enormes elogios a respeito) mas que estava hibernando em algum lugar do meu passado: WD-40!

Várias pessoas haviam usado com sucesso. Surpreendentemente minha mãe tinha um vidro novinho aqui no apartamento de Juiz de Fora . Usei e imediatamente após a aplicação o botão defeituoso deu algum sinal de vida, o que acendeu uma esperança! Depois o funcionamento ficou intermitente, mas outros usuários já haviam passado por isso também.
Agora o aparelho se encontra em repouso absoluto, aguardando que a umidade seja dissipada e que volte a funcionar (a torcida é grande!).
Surpresa com a eficácia do produto, resolvi pesquisar na internet e descobri o seguinte:

"WD-40 é uma marca registrada largamente utilizada em diversas áreas como óleo de penetração (limpador, lubrificante e solução anticorrosiva). É vendido em diversos países, entre os quais, o Brasil.
Desenvolvido por Norm Larsen (que então trabalhava para a Rocket Chemical Company) em 1953 para ser usado como eliminador d'água e anticorrosivo em circuitos elétricos. Inicialmente WD-40 fora usado para a manutenção e conservação de mísseis da NASA e na fuselagem de aeronaves. Mas não tardou e foram descobertos muitos outros usos para o WD-40.
WD-40 significa: "Water Displacement 40th attempt" ("40ª tentativa de Dispersor de Água"), ou seja, Norm Larsen conseguiu a fórmula do WD-40 na sua 40ª tentativa.
[editar]Predefinição:Particularidades

• WD-40 é a terceira marca americana mais presente no mundo, atrás apenas de Coca-Cola e McDonald's;
• WD-40 foi considerado por consumidores nos EUA a terceira melhor ferramenta do mundo;
• Somente 3 países tem fábricas de WD-40. EUA, Brasil e Inglaterra;
• A fórmula do WD-40 é ultrassecreta e conhecida por apenas 3 pessoas no mundo. Mesmo assim, cada uma delas tem apenas uma parte da fórmula;
• WD-40 é um dos únicos produtos homologados para serem usados na manutenção de aviões e helicópteros;
• Nos 160 países onde é distribuído, WD-40 é exatamente igual, a lata é azul e amarela em qualquer lugar do mundo;
• Em seus manuais de instruções, a Yamaha - uma das maiores indústrias de motores para motos e barcos do mundo - recomenda o uso de WD-40 na mangueira de entrada de gasolina no carburador após longo tempo sem uso da moto."

Resumo: que é eficaz eu não tenho mais a menor dúvida. Resta saber quão extenso será o benefício, coisa que pesquisarei em 3 dias. E mais: o meu WD 40 será comprado HOJE em algum supermercado e os demais integrantes da linha de produtos será incluído em minha lista de coisas a trazer da próxima viagem aos EUA :-)

terça-feira, 10 de abril de 2012

Woody Allen

Foto tirada daqui

Comprei dois livros do Woody Allen no final de semana e ri sozinha em alguns trechos, como este:

 "(...) Larry Doyle, o Irlandês - um sujeito tão desconfiado que não dava as costas a ninguém em Nova lorque e, por isso, andava pelas ruas girando, rodopiando constantemente."

domingo, 8 de abril de 2012

Aniversário

Hoje foi dia de Páscoa e aniversário do Pedro e, para comemorar ambas as datas, almoçamos em casa mesmo. Segui o que achava que faria sucesso com o filhote e fui de cardápio bem simples: arroz branco (fresquinho tem seu valor), gourjões de peixe empanados (essa receita eu preciso rever - ficaram tipo doré, e não crocantes como eu queria - culpa dos ovos batidos em excesso?), purê de batata e feijão.

De sobremesa fiz como bolo de aniversário um 'grand gâteau' (versão familiar dos petits gâteaux) com a melhor receita que já experimentei (retirada daqui): 200 g de chocolate meio amargo, 2 colheres (sopa) de manteiga, 50 g de açúcar, 2 colheres (sopa) de farinha de trigo, 2 ovos, 2 gemas de ovo
Derreta a manteiga e o chocolate em banho-maria (ou microondas). Bata os ovos e as gemas de ovo com açúcar na batedeira até ficar bem claro. Junte o chocolate derretido e a farinha de trigo, misturando com uma espátula. Unte as forminhas próprias com farinha de trigo e coloque a massa - sem preencher toda a forma. Pré-aqueça o forno (alto) e leve para assar de 5 a 7 minutos (dependendo do forno) até os bolinhos crescerem, mas ficarem com o meio molinho. Desenforme quente, diretamente no prato, acompanhado com sorvete de creme. Dica: para quem quiser congelar, basta colocar a forminha cheia, coberta com filme plástico, no freezer e quando for servir deixar o bolinho voltar a temperatura ambiente antes de colocar no forno. Pode-se congelar o petit gateau cru, direto nas forminhas. Quando quiser, basta descongelar totalmente e deixar o mesmo tempo indicado na receitas.

Na falta da velinha, cantamos parabéns com a vela virtual do iPhone. E agradecemos a Deus pelo presente que é o Pedro.

sábado, 7 de abril de 2012

Saudade

"Saudade é um pouco como fome. Só passa quando se come a presença. Mas às vezes a saudade é tão profunda que a presença é pouco: quer-se absorver a outra pessoa toda. Essa vontade de um ser o outro para uma unificação inteira é um dos sentimentos mais urgentes que se tem na vida."

 Clarice Lispector
Foto retirada daqui
Às vezes tudo o que se quer é poder segurar a mão de alguém...

sexta-feira, 6 de abril de 2012

Na casa da Leila

A Sexta-feira Santa foi na casa da Leila, amiga querida, que comemorou o aniversário do filho (Pedro), cunhados e sogra - todos na mesma semana!
O ambiente estava tão delicioso quanto a comida e tinha tanta coisa (todas tão gostosas) que foi muito difícil provar de tudo:

(moqueca de peixe, casquinha de siri, escondidinho de bacalhau, bobó de camarão, a mesa de sobremesas e flores lindas)

Bom ter a oportunidade para cozinhar para aqueles de quem se gosta e hoje fui de brigadeiro de copinho de chocolate meio amargo com conhaque, cupcakes de limão, pão de ervas e rocambole de doce de leite:

As receitas:

1. Rocambole de doce de leite: 5 ovos, 1 xícara de açúcar, 1 xícara de farinha de trigo, 1 colher de sopa de fermento em pó. Bater as claras em neve e em seguida juntar metade do açúcar; reservar. Bater as gemas com a outra metade do açúcar até clarear e dobrar de volume. Juntar a farinha de trigo e misturar. Juntar o fermento e as claras e misturar levemente. Assar em tabuleiro nº 3 untado e polvilhado. Ao retirar do forno, desenformar em pano de prato polvilhado com açúcar e enrolar ainda quente para manter o formato. Rechear com doce de leite 'afinado' com creme de leite. Polvilhar com açúcar de confeiteiro.

2. Cupcakes de limão (adaptados daqui): 125g de farinha de trigo, 1 colher (sopa) de fermento, 125g de açúcar refinado, 125g de manteiga sem sal em temperatura ambiente, 2 ovos, raspas da casca de 1 limão, 2 colheres (sopa) de leite, aproximadamente
Pré-aqueça o forno a 200ºC e forre 12 forminhas de muffin com forminhas de papel.
Em uma tigela média, bata a manteiga com o açúcar até obter um creme. Junte os ovos, um por vez, com um pouquinho da farinha. Bata bem. Adicione a baunilha, fermento e o restante da farinha, misturando. Junte o leite até conseguir uma consistência para “pingar” a massa nas forminhas.A massa vai parecer pouca para fazer os 12 bolinhos, (às vezes é mesmo, dependendo do tamanho da forminha). Asse por 15-20 minutos ou até que eles estejam dourados e assadinhos por dentro – faça o teste do palito se preferir. Retire do forno e coloque os cupcakes sobre uma grelha para esfriarem. Cubra com glacê de limão simples (1 xícara de açúcar de confeiteiro misturado com 1 colher (sopa) de suco de limão).

3. Pão de ervas (retirado daqui): Bater no liquidificador 3 ovos inteiros, 2 xícaras de água, 200 ml de óleo, 4 tabletes de fermento biológico, 3 colheres de sopa de açúcar, 1 colher de sopa de sal, 4 galhos de salsinha com talo, 4 galhos de cebolinha, manjericão (a gosto), orégano (à vontade), 1 dente de alho e 1 cebola pequena. Num recipiente separado colocar 5 xícaras de farinha de trigo e ir jogando a mistura batida no liquidificador aos poucos (no velho estilo buraco no meio e rodando a colher de pau aos poucos). 
Deixar crescer por 1 hora. Depois colocar em forma untada e enfarinhada (uma receita rende 2 formas de bolo inglês bem grandes). Assar em forno médio por cerca de 35 minutos.

4. Brigadeiro de copinho 'de adulto': segui a receita do brigadeiro comum, trocando o chocolate em pó por 100g de chocolate meio amargo e acrescentando, ao final, 1 caixinha de creme de leite e 1 colher (sobremesa) rasa de conhaque - acho que com licor de chocolate ou cacau ficaria melhor, ou mesmo Grand Marnier.

O final da noite vai ser com outra amiga querida, Carol, na lapa, ouvindo (e dançando!) samba de raiz.
Porque quem tem amigos NUNCA está sozinho...