quinta-feira, 31 de outubro de 2013

Torta Cetim

Essa receita foi adaptada do programa Homens Gourmet, no canal Bem Simples.
Fiz meia apenas e rendeu um pirex pequeno.

Torta cetim
Para a torta:
Leite condensado, 395 g; Creme de leite (sem soro), 395 g; Leite, 250 ml; Leite de coco, 200 ml; Ovos, 4 unidades; Farinha de trigo, 1 colher (sopa); Manteiga, 1 colher (sopa); Baunilha, 8 gotas; Queijo parmesão ralado, 3 colheres (sopa)
Para a cobertura:
Usei goiabada derretida com um pouquinho d'água no microondas.

Modo de fazer:
Derreta a manteiga e misture o queijo. Junte os demais ingredientes à manteiga derretida com queijo e bata tudo no liquidificador. Despeje, então, em um pirex médio e leve ao forno preaquecido a 180°C até dourar.
Deixe esfriar e espalhe a goiabada derretida por cima da torta. No site há ainda sugestão de decoração adicional: decore com os pêssegos, o creme de leite e as cerejas. Leve à geladeira por 3 horas e sirva. 


Farofa!

Hoje resolvi fazer uma compilação de receitas (algumas testadas, outras na fila de espera) retiradas dos sites Bem Simples e Rainhas do Lar para colocar aqui.
Porque como já diria o poetinha: "(...)E o que há de melhor que ir pra cozinha /E preparar com amor uma galinha/Com uma rica e gostosa farofinha/Para o seu grande amor?"
=)

Sabia tudo esse Vinícius de Moraes!

Aliás, essa poesia (Para Viver um Grande Amor) é toda linda e merece vir para o blog:

Para viver um grande amor, preciso
É muita concentração e muito siso
Muita seriedade e pouco riso
Para viver um grande amor
Para viver um grande amor, mister
É ser um homem de uma só mulher
Pois ser de muitas - poxa! - é pra quem quer
Nem tem nenhum valor
Para viver um grande amor, primeiro
É preciso sagrar-se cavalheiro
E ser de sua dama por inteiro
Seja lá como for
Há de fazer do corpo uma morada
Onde clausure-se a mulher amada
E postar-se de fora com uma espada
Para viver um grande amor

Para viver um grande amor direito
Não basta apenas ser um bom sujeito
É preciso também ter muito peito
Peito de remador
É sempre necessário ter em vista
Um crédito de rosas no florista
Muito mais, muito mais que na modista
Para viver um grande amor
Conta ponto saber fazer coisinhas
Ovos mexidos, camarões, sopinhas
Molhos, filés com fritas, comidinhas
Para depois do amor
E o que há de melhor que ir pra cozinha
E preparar com amor uma galinha
Com uma rica e gostosa farofinha
Para o seu grande amor?

Para viver um grande amor, é muito
Muito importante viver sempre junto
E até ser, se possível, um só defunto
Pra não morrer de dor
É preciso um cuidado permanente
Não só com o corpo, mas também com a mente
Pois qualquer "baixo" seu a amada sente
E esfria um pouco o amor
Há de ser bem cortês sem cortesia
Doce e conciliador sem covardia
Saber ganhar dinheiro com poesia
Não ser um ganhador
Mas tudo isso não adianta nada
Se nesta selva escura e desvairada
Não se souber achar a grande amada
Para viver um grande amor!

Sem mais delongas, vamos às farofas:

Farofa de flocos de milho    
Flocos de milho, 250 g
Alho, colher (sopa)
Manteiga, 100 g
Salsinha, a gosto
Sal, a gosto

Numa frigideira doure o alho e a salsinha na manteiga.Insira a farinha de milho na manteiga e deixe tostar, mexendo sempre. Salgue a gosto.   

Farofa de miga fresca        
Pão miga sem casca e esfarelado, 200 g; Amêndoa sem casca picada grosseiramente, 100 g; Tomilho picado, 1 colher (sopa); Raspinhas de limão siciliano picadinha, 1 colher (chá); Manteiga, 2 colheres (sopa)
Azeite, 2 colheres (sopa); Sal e pimenta moída; Salsinha picada,       
Aquecer o azeite com a manteiga, juntar o tomilho, o limão, o pão e a amêndoas. Ir fritando em fogo médio até dourar bem.Temperar com sal e pimenta, finalizar com a salsinha.

Farofa de presunto parma e melado
Farinha de mandioca torrada, 3 xícaras; Melado de cana, ½ xícara; Manteiga sem sal, 150 g; Cebola picada brunoise, 2 colheres (sopa); Presunto de Parma picado brunoise (em cubinhos), ½ xícara; Sal
Derreta a manteiga, junte a cebola e refogue por cerca de 5 minutos. Junte o melado e o presunto, misture, acrescente a farinha e vá mexendo até dourar levemente. Se necessário, acerte o sal, resfrie ou sirva em seguida.

Farofa de banana com farinha de rosca      
Azeite, 60 ml; Bacon, 100 g; Banana-da-terra verde, 600 g; Cebola, 50 g; Pão francês (farinha), 100 g; Sal, a gosto; Salsa, 30 g 
Corte o bacon em cubos pequenos e frite. Tire o excesso da gordura e reserve-a em uma frigideira. Coloque o bacon para esquentar em outra panela. Acrescente a banana cortada em cubos pequenos na frigideira com a gordura. Esquente e reserve.Adicione, na frigideira com o bacon, a cebola cortada em cubos pequenos e a farinha de pão. Some, também, um pouco de azeite, a salsinha e a banana.

Farofa de maracujá
Ingredientes: manteiga, cebola, bacon, calabresa, temperos a gosto e os dois segredinhos que garantem o sucesso e não podem faltar: cereja e maracujá! 
Frite a cebola até dourar na manteiga. Adicione o bacon e deixe fritar até ficar bem tostadinho. Acrescente a calabresa, frite e mexa bem. Quando toda a mistura estiver bem fritinha e dourada, tempere a gosto (ex. limão, pimenta calabresa e pimenta de cheiro). Deixe mais um pouquinho no fogo. Misture a polpa e sementes de um ou dois maracujás. Deixe fritar mais um pouco. Desligue o fogo, escorra a manteiga que estiver sobrando e reserve por poucos minutos. Acrescentar cereja picadinha e misturar tudo novamente. Pra finalizar, a farinha de mandioca.

Lembro ainda das já postadas Farofa Gostosa e Farofa de Arroz 7 grãos.


quarta-feira, 30 de outubro de 2013

Adoçando os dias

Uma conjuntivite muito chata me afastou do trabalho por alguns dias e me sobra muito pouco a fazer além de computador e livros, descontando o desconforto para ler. Mas quando fico em casa a cozinha me chama, praticamente me intima a comparecer por lá...
Dessa forma hoje eu fiz palha italiana branca (sem chocolate) e um pavê de amendoim. Em relação a este, vale uma pequena história: era das sobremesas preferidas que minha mãe fazia quando eu era criança, e eu me lembro de ter nos meus planos "para quando fosse gente grande" fazê-la muitas vezes. Só que a mistura creme de leite + manteiga + amendoim da receita de minha mãe tem conflito de interesse significativo com a minha formação médica e eu resolvi adaptar para uma nova combinação um pouquinho menos rica em colesterol.
Ficaram assim:
E eu fiz desse jeito:

Palha italiana branca: Levar ao fogo baixo 1 lata de leite condensado e 1 colher (sobremesa) de manteiga, mexendo sempre até soltar do fundo da panela. Retirar do fogo, juntar 1 pacote de biscoito maizena picado e colocar em pirex untado até esfriar. Cortar em quadradinhos, passar no açúcar e guardar em pote fechado.

Pavê de amendoim: Fazer um creme com meia lata de doce de leite, uma caixinha de creme de leite e 100g de amendoim (sem pele, sem sal, torrado e moído). Dispor num refratário em camadas, alternando com biscoito maizena umedecido em leite (usei um pouco menos de meio pacote de biscoito maizena). Depois da última camada de creme, enfeitar com amendoim e levar à geladeira.

 Porque dá uma vontade danada de adoçar os dias de quem adoça os meus...

Definitivo (Carlos Drummond de Andrade)

Definitivo, como tudo o que é simples. 
Nossa dor não advém das coisas vividas, 
mas das coisas que foram sonhadas e não se cumpriram.

Sofremos por quê? Porque automaticamente esquecemos
o que foi desfrutado e passamos a sofrer pelas nossas projeções 
irrealizadas, por todas as cidades que gostaríamos de ter conhecido ao lado 
do nosso amor e não conhecemos, por todos os filhos que gostaríamos de ter 
tido junto e não tivemos,por todos os shows e livros e silêncios que 
gostaríamos de ter compartilhado, 
e não compartilhamos. 
Por todos os beijos cancelados, pela eternidade. 

Sofremos não porque nosso trabalho é desgastante e paga pouco, mas por todas 
as horas livres que deixamos de ter para ir ao cinema, para conversar com um 
amigo, para nadar, para namorar. 

Sofremos não porque nossa mãe é impaciente conosco, mas por todos os 
momentos em que poderíamos estar confidenciando a ela nossas mais profundas 
angústias se ela estivesse interessada em nos compreender. 

Sofremos não porque nosso time perdeu, mas pela euforia sufocada. 

Sofremos não porque envelhecemos, mas porque o futuro está sendo 
confiscado de nós, impedindo assim que mil aventuras nos aconteçam, 
todas aquelas com as quais sonhamos e nunca chegamos a experimentar. 

Por que sofremos tanto por amor? 
O certo seria a gente não sofrer, apenas agradecer por termos conhecido uma 
pessoa tão bacana, que gerou em nós um sentimento intenso e que nos fez 
companhia por um tempo razoável,um tempo feliz. 

Como aliviar a dor do que não foi vivido? A resposta é simples como um 
verso: 

Se iludindo menos e vivendo mais!!! 
A cada dia que vivo, mais me convenço de que o desperdício da vida 
está no amor que não damos, nas forças que não usamos, 
na prudência egoísta que nada arrisca, e que, esquivando-se do 
sofrimento,perdemos também a felicidade. 

A dor é inevitável. 
O sofrimento é opcional...

terça-feira, 29 de outubro de 2013

Valsinha

Um dia ele chegou tão diferente do seu jeito de sempre chegar
Olhou-a dum jeito muito mais quente do que sempre costumava olhar
E não maldisse a vida tanto quanto era seu jeito de sempre falar
E nem deixou-a só num canto, pra seu grande espanto convidou-a pra rodar

Então ela se fez bonita como há muito tempo não queria ousar
Com seu vestido decotado cheirando a guardado de tanto esperar
Depois os dois deram-se os braços como há muito tempo não se usava dar
E cheios de ternura e graça foram para a praça e começaram a se abraçar

E ali dançaram tanta dança que a vizinhança toda despertou
E foi tanta felicidade que toda a cidade se iluminou
E foram tantos beijos loucos
Tantos gritos roucos como não se ouvia mais
Que o mundo compreendeu
E o dia amanheceu
Em paz 

=)


terça-feira, 22 de outubro de 2013

(mais) Uma receita e (mais) uma reflexão

Chegar em casa cansada do trabalho e ter o prazer de cozinhar para alguém... a vida é de fato feita de pequenos momentos felizes :-)
Isso acabou me levando a uma frase da Lya Luft: "Somos as escolhas que fazemos e as que omitimos, a audácia que tivemos e os fantasmas aos quais sacrificamos a possível alegria e até pessoas a quem amamos; a vida que abraçamos e a que desperdiçamos. Em suma, fazemos a escritura da nossa complicada história." Tanta verdade em tão poucas palavras... 

A receita de hoje foi de Torta Búlgara, à qual cheguei adaptando receitas da internet ao que eu tinha no armário:
300g Nescau, 220g açúcar, 300g margarina, 1 ovo, 4 gemas.
Derreti os três primeiros ingredientes no fogo, retirei, juntei o ovo e as gemas e retornei ao banho-maria mexendo até ficar homogêneo. Levei ao forno médio em forma untada, novamente banho-maria, por cerca de 40 minutos.
Assim que estiver pronto posto a foto :-)

domingo, 13 de outubro de 2013

Uma receita e uma reflexão

A receita é de uma sobremesa bem gostosa, que uma amiga querida do trabalho ensinou. Tem o jeitão de um pavê, mas sem a camada mais sólida:

Sobremesa da Andrea W
1 lata de leite condensado, 1 lata de leite, 3 colheres (sopa) bem cheias de Nescau, 2 gemas, 1 colher (sobremesa) de manteiga, 2 claras em neve, 2 colheres (sopa) de açúcar, 1 caixinha de creme de leite.
Faça um brigadeiro mole com os cinco primeiros ingredientes, mexendo sempre. Coloque num pirex e deixe esfriar. Bata as claras em neve com o açúcar e ao final misture suavemente o creme de leite. Coloque por cima do creme de chocolate e leve à geladeira por pelo menos 4h. Sirva gelado.

A reflexão é sobre uma crônica publicada hoje na Revista do Jornal o Globo. Eu pensei nas mulheres que, como eu, trabalham divididas entre a realização profissional/autonomia e a culpa de deixar os filhos. Lembremos sempre que somos também modelos para criaturas em formação - que consigamos fazer nossos filhos crescerem sem tanta culpa moldando seus caminhos, conscientes de que trabalho engrandece e dignifica o ser humano.